Montadora alemã admitiu ter subornado funcionários públicos de pelo menos 22 países para fechar contratos, segundo a agência BBC

A montadora alemã Daimler, proprietária da Mercedes-Benz, admitiu nos Estados Unidos ser culpada por corrupção e vai pagar uma multa US$ 185 (cerca de R$ 330 milhões) para encerrar o caso, reportou nesta quinta-feira a agência BBC.

A acusação é referente a “práticas de vendas da empresa”. A Daimler admitiu ter pagado milhões de dólares em subornos a funcionários públicos estrangeiros em pelo menos 22 países. As investigações foram conduzidas pela Justiça norte-americana e a Securities and Exchange Commission (SEC, órgão que fiscaliza e regulamenta o mercado de capitais americano).

Os crimes foram cometidos entre 1998 e 2008 pela unidade de Exportação e Comércio Exterior da companhia baseada na Alemanha e pela Mercedes-Benz Rússia. Ambas deram dinheiro e “presentes caros” para fechar contratos em países como China, Rússia, Tailândia, Grécia e Iraque.

O Departamento de Justiça dos EUA afirmou que, "utilizando contas bancárias ‘offshore’, agentes terceiros e práticas enganosas de preços, essas empresas viram o suborno estrangeiro como uma maneira de fazer negócios".

O presidente da Daimler, Dieter Zetsche, disse que a empresa “aprendeu muito” com a experiência. “Hoje, somos uma empresa melhor e mais forte, e nós continuaremos a fazer todo o possível para manter os mais elevados padrões de respeito", afirmou. A empresa diz ter demitido 45 funcionários que estavam ligados à corrupção. (As informações são da BBC)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.