Tamanho do texto

Perda da empresa desde que saiu da quebra chega a US$ 4 bilhões

A fabricante automotiva americana Chrysler informou hoje que teve prejuízo de US$ 3,78 bilhões entre 10 de junho e 31 de dezembro de 2009, e de US$ 197 milhões no primeiro trimestre de 2010, o que representa perda de quase US$ 4 bilhões desde que saiu da quebra.

A Chrysler, que se encontra sob a direção da Fiat desde que voltou a atuar em 2009, destacou que nos três primeiros meses de 2010 registrou um lucro operacional de US$ 143 milhões. Esses são os primeiros resultados financeiros do Grupo Chrysler (formado pelas marcas Chrysler, Dodge, Jipe e Ram) desde que saiu da quebra, graças à injeção de US$ 14 bilhões do Tesouro americano.

O fabricante disse que, de junho a dezembro de 2009, teve receitas líquidas de US$ 17,71 bilhões e perdas operacionais de US$ 895 milhões. A empresa fechou o ano com US$ 5,87 bilhões em caixa. O executivo-chefe do grupo, Sergio Marchionne, disse em comunicado que "o progresso regular de nossos resultados financeiros de junho a dezembro de 2009 demonstra que a Chrysler está a caminho de cumprir os ambiciosos porém alcançáveis objetivos anunciados em novembro".

No primeiro trimestre de 2010, a Chrysler teve receitas de US$ 9,68 bilhões e um lucro operacional de US$ 143 milhões. Segundo Marchionne, "este resultado positivo de operações no primeiro trimestre é uma indicação concreta para nossos clientes, concessionários e provedores de que os objetivos estabelecidos para 2010 são alcançáveis".

O diretor também destacou que a empresa está gerando dinheiro (em três meses o caixa passou de US$ 5,87 bilhões para US$ 7,36 bilhões), o que permitirá "financiar os investimentos feitos em nossa gama de produtos". Para 2010, a empresa espera receitas entre US$ 40 bilhões e US$ 50 bilhões e lucro operacional de US$ 200 milhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.