As vendas de materiais para construção no varejo cresceram 12% em maio ante o mesmo mês de 2009, de acordo com balanço interno divulgado hoje pela Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco). Em relação a abril, as vendas cresceram 8%.

As vendas de materiais para construção no varejo cresceram 12% em maio ante o mesmo mês de 2009, de acordo com balanço interno divulgado hoje pela Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco). Em relação a abril, as vendas cresceram 8%. No acumulado do ano até maio, o segmento de material de construção cresceu 9,5% sobre o mesmo período do ano passado. Otimista com os resultados, a entidade elevou a expectativa de crescimento do setor no ano de 2010 de 10% para 11%, ao considerar que o setor está bastante aquecido, tanto pela manutenção da desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), quanto pelas obras do PAC e do programa Minha Casa, Minha Vida.

Para Cláudio Conz, presidente da Anamaco, a tendência de crescimento tem se confirmado e 2010 tem tudo para ser o melhor ano da história para o setor da construção civil. A redução do IPI foi um fator que influenciou fortemente a recuperação do setor nos últimos 12 meses, em que o crescimento registrado foi de 6,5%. As vendas dos produtos beneficiados com a redução do imposto cresceram 20% nos últimos 12 meses. Na prática, esses materiais ficaram em média 8,5% mais baratos para o consumidor final e isso manteve o setor aquecido, acrescenta Conz. Os itens beneficiados pela redução do IPI representam 25% do mix de uma loja de material de construção.

O dirigente aponta que o setor passou por um período de antecipação de compras antes do anúncio da prorrogação da redução até o final do ano. "O que acontece é que, de início, a redução não valeu para os estoques e os nossos produtos demoram, em média, de 60 a 90 dias para girarem. Em contrapartida o consumidor já estava exigindo o desconto no balcão, então os lojistas tiveram que trabalhar com preços médios", diz Conz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.