Tamanho do texto

Perdas foram reduzidas pelo aumento dos preços do alumínio, mas empresa não conseguiu sair do vermelho

A gigante do setor de alumínio Alcoa anunciou nesta segunda-feira, logo após o fechamento do mercado, que reduziu seu prejuízo líquido para US$ 201 milhões (US$ 0,20 por ação) no primeiro trimestre, de um prejuízo de US$ 497 milhões (US$ 0,61 por ação), graças aos preços mais altos do alumínio, que ajudaram a compensar a redução nos embarques. Contudo, os encargos especiais e relacionados com reestruturação, de US$ 295 milhões (US$ 0,29 por ação), mantiveram o resultado do primeiro trimestre no vermelho.

Excluindo os encargos de reestruturação de impacto único, a companhia obteve um lucro de operações continuadas de US$ 0,10 por ação no primeiro trimestre. Os analistas entrevistados pela Thomson Reuters estavam projetando um lucro, excluindo itens, de US$ 0,10 por ação. A companhia também reduziu o prejuízo nas operações continuadas para US$ 194 milhões (US$ 0,19 por ação) no primeiro trimestre, de uma perda de US$ 480 milhões (US$ 0,59 por ação) registrada em igual período de 2009.

A receita alcançou US$ 4,887 bilhões no primeiro trimestre, acima dos US$ 4,147 bilhões registrados em igual período de 2009. Contudo, o resultado ficou 10% abaixo da receita de US$ 5,433 bilhões obtida no quarto trimestre de 2009. Os analistas ouvidos pela Thomson Reuters estavam esperando uma receita de US$ 5,24 bilhões. "Nosso desempenho continuou a melhorar no primeiro trimestre graças aos preços mais altos e melhor resultado operacional", disse o presidente e executivo-chefe da Alcoa, Klaus Kleinfeld.

"Nossos mercados estão gradualmente melhorando e tanto a tendência política quanto o sentimento do consumidor são favoráveis para a demanda de alumínio", acrescentou. No pregão regular desta segunda-feira, as ações da Alcoa subiram 1,25% para US$ 14,57. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.