Suzuki e BMW preparam linhas de produção locais

Montadora japonesa fabricará o jipe Jimmy na unidade da Mitsubishi no interior de Goiás

Brasil Econômico - Ana Paula Machado |

Brasil Econômico

Depois do aguardado — e, porque não dizer, antecipadíssimo — anúncio da construção de uma fábrica em Santa Catarina, a BMW espera agora o amém do governo brasileiro para dar corpo à empreitada. A montadora alemã já entregou a documentação ao governo pedindo o enquadramento às novas regras fiscais do setor automotivo. A unidade de Araquari terá capacidade para produzir 30 mil unidades por ano e a expectativa é que as operações tenham início em 2014.

“Esperamos para os próximos dias a aprovação de nosso projeto por parte do governo. Dessa forma, poderemos nos enquadra à regra de importação de 50% de nossa demanda”, afirmou o presidente da montadora no país, Jörg Henning Dornbusch.

E realmente, a cota vai ajudar a BMW a manter sua liderança do mercado de carros de luxo no Brasil. A companhia vai vender este ano cerca de 8,5 mil carros no país um volume 30% menor que o obtido em 2011. “Com a cota, podemos aumentar de 26% para 35% a nossa participação nas vendas de carros premium, considerando as três marcas alemãs que competem no mercado brasileiro (a Audi e a Mercedes-Benz). É um salto importante para a empresa, até porque, toda a produção será destinada prioritariamente para o mercado interno”, disse o executivo, acrescentando que a empresa pode produzir na unidade o sedã Serie 3, concorrente direto da Mercedes Classe C.

Japonês “made in Brazil”

A japonesa Suzuki não precisou de habilitação do governo federal para tentar melhorar as vendas da marca no país. A empresa vai começar a produzir o jipe de pequeno porte Jimmy em uma fábrica compartilhada com a Mitsubishi na cidade de Catalão, em Goiás.

“Já começamos a pré-serie do carro e a produção vai começar mesmo em 2013. O projeto da fabricação local teve início em 2010 e, como o importador da Mitsubishi é o mesmo que o nosso, decidimos, por questão de corte de custos e aumento de escala, produzir em conjunto na unidade”, afirmou o presidente da Suzuki no Brasil, Luiz Rosenfeld. O grupo importador das duas marcas formado pelo Souza Ramos e o banco BTG Pactual, de André Esteves.

O projeto original era que cada marca tivesse sua unidade de produção no interior de Goiás. A da Suzuki seria instalada na cidade de Itumbiara. “Vamos ter uma capacidade de produção de 7 mil carros por ano na fábrica compartilhada. Os investimentos somaram R$ 150 milhões somente da parte da Suzuki. A unidade de Itumbiara poderá ser utilizada assim que a demanda crescer no Brasil”, disse o executivo.

O primeiro lote que será fabricado no Brasil, segundo Rosenfeld, será de 250 Jimmy e a previsão é que no ano que vem o mix de vendas da Suzuki no país, entre importados e nacionais, alcance 25% do volume, podendo dobrar em 2014.

Importação cresce em 2013

A associação dos importadores de veículos, a Abeiva, afirmou que estima um aumento de 25% nas vendas de veículos produzidos no exterior em 2013, para 150 mil unidades. De janeiro a setembro deste ano, as marcas representadas pela unidade venderam 102 mil unidades.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

Leia tudo sobre: economiamontadorasempresas

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG