Segundo relatório da Agência Internacional de Energia. crise econômica em países desenvolvidos continua pressionando o consumo em todo o mundo

Agência Estado

A Agência Internacional de Energia (AIE) reduziu a previsão de crescimento da demanda por petróleo em 2012, na medida em que o quadro econômico cada vez mais sombrio continua pressionando o consumo. Segundo o "Relatório de Mercado de Médio Prazo 2012", a AIE revisou seu prognóstico de crescimento da demanda global de petróleo para 700 mil barris por dia neste ano.

LEIA TAMBÉM:
Sem alta de combustíveis, Petrobras pode cortar projetos

preço do petróleo deve diminuir nos próximos cinco anos, por conta do aumento da capacidade de produção global, diz AIE
AP
preço do petróleo deve diminuir nos próximos cinco anos, por conta do aumento da capacidade de produção global, diz AIE

Segundo a Petromatrix, um grupo de pesquisa independente com sede na Suíça, o prognóstico atual representa basicamente metade do aumento da demanda que a agência previa há um ano para 2012. A agência, porém, manteve suas estimativas de expansão da demanda em 2013 inalterada em 800 mil barris por dia.

A fraca demanda por petróleo se alinha ao declínio na oferta da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que caiu em setembro para o menor nível em oito meses. A produção mais baixa da Nigéria, Angola e Arábia Saudita não conseguiu atenuar o impacto do suprimento mais alto vindo do Iraque e da Líbia, embora a produção da Opep continue superando a demanda por seu produto, destacou o relatório.

A produção iraniana também continuou cadente no mês passado, com o impacto das sanções ocidentais que tem o intuito de impedir que o país desenvolva o seu programa nuclear. De acordo com a AIE, a produção iraniana caiu para 2,63 milhões de barris por dia no mês passado e as suas exportações atingiram a nova mínima de 860 mil barris por dia.

"Embora muitos esperem que as sanções sejam relativamente flexibilizadas em setembro, uma vez que os exportadores iranianos e alguns de seus clientes têm encontrado alternativas para driblar as restrições seguradoras, o cumprimento das condicionantes parece que ficou mais rígido", observou o relatório.

Preços mais baixos

A AIE projetou ainda que os preços do petróleo devem diminuir nos próximos cinco anos, com o aumento da capacidade de produção global e o mal-estar econômico mantendo o crescimento da demanda fraco. Mas os riscos geopolíticos poderão causar alguma turbulência.

A agência informou que a capacidade de produção de petróleo deve crescer para 102 milhões de barris por dia até 2017, bem acima da previsão de demanda de 95,7 milhões de barris por dia. Para o horizonte de cinco anos, a previsão da AIE é de um aumento da demanda global por petróleo médio de apenas 1,1 milhão de barris por dia, o que embute uma revisão em baixa de 100 mil barris por dia em relação ao prognóstico anterior de demanda para o período até 2017 feito no relatório de dezembro.

Brasil

A produção brasileira de petróleo deve crescer 800 mil barris por dia até 2017, de acordo com a AIE. De acordo com o relatório, o avanço do País será o terceiro mais expressivo do mundo entre os países de fora da OPEP.

"O Brasil vai adicionar 0,8 milhão de barris por dia em sua maioria em águas profundas", disse o diretor de mercados energéticos da AIE, Keisuke Sadamori, durante a apresentação do documento transmitida por teleconferência. Em agosto, segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP), o Brasil produziu 2,006 milhões de barris de petróleo por dia. Portanto, pelas projeções da AIE, a extração diária deve crescer cerca de 40% nos próximos cinco anos.

Fora da OPEP, o aumento da extração no Brasil está atrás do Canadá (produção adicional de 1,1 milhão de barris/dia) e dos Estados Unidos (3,3 milhões de barris/dia até 2017). As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.