Petrobras oferece reajuste de até 8,16% e afasta chance de greve

Segundo a companhia, a proposta é de um ganho real médio de 2,5% nos salários

Reuters |

Reuters

A Petrobras melhorou sua proposta de reajuste salarial e afastou a possibilidade de greve que estava sendo cogitada por trabalhadores, informou a entidade que reúne sindicatos dos petroleiros.

Em reunião nesta sexta-feira, a companhia ofereceu reajuste que deve variar entre 7,5 e 8,16%, com salários mais baixos recebendo percentuais maiores, afirmou o coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), João Antônio de Moraes.

De acordo com a Petrobras, a proposta é de um ganho real médio de 2,5%. "A empresa aguarda agora a aprovação da proposta por parte dos empregados e seus representantes. A expectativa da companhia é de fechamento de acordo", afirmou a companhia, em nota.

"Os sindicatos avaliaram a proposta como positiva; estão no patamar das demais categorias e por isso estamos submetendo nas assembleias com indicativo de aprovação", afirmou o representante dos petroleiros.

As assembleias de trabalhadores começam no sábado e terminam no próximo dia 15, mas a maioria será concluída na próxima semana, disse o sindicalista.

No dia 26 de setembro os petroleiros realizaram uma greve nacional sem paralisar a produção da companhia.

A greve foi consequência da rejeição, pelos trabalhadores, da proposta anterior de reajuste da Petrobras. A empresa oferecera 6,5% de reajuste, equivalente a um ganho real entre 0,9 e 1,2%.

(Reportagem de Sabrina Lorenzi)


Leia tudo sobre: petrobraspetroleirospetróleogrevefup

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG