Negócio de US$ 1,9 bilhão é aprovado mediante venda de selos que representam Coldplay e Queen responsáveis por 30% das receitas da companhia britânica

Reuters

Selo Parlophonne, do Coldplay, deve ser negociado pela Universal após acordo com autoridades
Photo Rio News
Selo Parlophonne, do Coldplay, deve ser negociado pela Universal após acordo com autoridades

A Universal Music, do conglomerado francês Vivendi, obteve nesta sexta-feira aprovação da União Europeia para comprar a gravadora EMI por US$ 1,9 bilhão (R$ 3,85 bilhões) depois de concordar vender selos responsáveis por quase 30% das receitas da companhia britânica.

O grupo combinado, que inclui um amplo conjunto de artistas como Katy Perry e Pink Floyd, propôs a venda de ativos depois que autoridades da UE se mostraram preocupadas com o potencial poder de mercado da nova empresa.

A Universal informou que os ativos a serem vendidos representam 30% das receitas da EMI ou quase 10% das vendas do grupo combinado.

A empresa vai vender a Parlophonne, um dos selos mais prestigiados da EMI e que reúne artistas como Coldplay e Queen. Os Beatles não estão incluídos nas vendas de ativos.

Também dentro dos selos que serão vendidos estão Mute, Ensign e Chrysalis, EMI Classics, Virgin Classics e unidades da EMI na França, Espanha, Bélgica, Dinamarca, República Tcheca, Polônia, Portugal, Suécia e Noruega.

A Universal também vai vender as marcas Sanctuary, Co-Op Music, King Island Roxystar, MPS Recordes, participação na Jazzland e sua unidade na Grécia.

Especialistas da indústria fonográfica afirmam que o valor do pacote a ser vendido pode alcançar os US$ 750 milhões (R$ 1,518 bilhão).

A Comissão Europeia estipulou que os compradores dos ativos precisam ser gravadoras ativas ou com registro provado de atividade na indústria da música, para garantir que haverá um forte rival para a Universal.

Potenciais compradores incluem Warner Music, Sony Music, o grupo de investimentos KKR e o fundador da Virgin Records, Richard Branson.

O vendedor da EMI, o Citigroup, comprou a gravadora do grupo Terra Firma, quando ele não pagou empréstimos devidos ao banco de investimento. O acordo proposto vai consolidar a posição de liderança da Universal na indústria europeia da música.

Por Foo Yun Chee


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.