SÃO PAULO - O consumo de energia elétrica subiu 10,7% em fevereiro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, superando a marca de 34 mil gigawatts-hora (GWh). A indústria liderou a expansão, com um crescimento de 14,4%, divulgou hoje a Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237562735378&_c_=MiGComponente_C

Em fevereiro, a indústria brasileira demandou da rede 14.438 GWh, o que equivale a 42% do total.

Segundo a EPE, o consumo industrial de energia retomou o patamar pré-crise e a recuperação se observa principalmente nas indústrias siderúrgica e extrativa mineral (minério de ferro, em particular). O Sudeste liderou a expansão neste setor, com alta de 17,3% em relação a janeiro.

Por sua vez, o consumo residencial de energia elétrica teve alta de 9,8% em fevereiro contra janeiro, ao passo que o comercial avançou 7,2%. A exemplo do que foi observado nos últimos meses, o crescimento do consumo de energia nas residências foi influenciado pelas altas temperaturas.

No entanto, o fato de o crescimento acumulado nos últimos 12 meses estar em 7% evidencia que a expansão é sustentada e que está ligada também ao avanço sistemático no número de consumidores, em especial no Nordeste, bem como ao aumento do uso de eletrodomésticos, o que é explicado pela elevação da renda da população e da oferta de crédito.

O avanço mais significativo do consumo residencial foi registrado justamente no Nordeste, com acréscimo de 11,1%, seguido pelo Norte (10,4%), Sul (10%) Sudeste (9,7%) e Centro-Oeste (6,6%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.