Tamanho do texto

Moto Honda da Amazônia inaugura hoje nova fábrica ao lado da atual, na Zona Franca de Manaus (AM)

selo

Líder de vendas num mercado que abriga mais de 25 marcas, entre fabricantes e importadores, a Moto Honda da Amazônia inaugura hoje nova fábrica ao lado da atual, na Zona Franca de Manaus (AM). A capacidade extra, de 500 mil motocicletas por ano, é mais do que todas as outras empresas produzem juntas. Com o projeto, que consumiu R$ 90 milhões, a montadora ampliará sua capacidade total para 2 milhões de unidades anuais.

De cada 100 motos vendidas atualmente no País, 77 são da Honda. O domínio já foi maior na época em que a principal concorrente era a também japonesa Yamaha, mas a chegada de novas marcas nos anos recentes levou a uma redivisão do bolo. Só de origem chinesa, cerca de dez fabricantes inauguraram linhas de montagem no País a partir de 2003.

Em 2008, a participação da Honda nas vendas totais chegou a cair para 70%. Para evitar perda ainda maior, a empresa, vista como uma das mais lucrativas no ramo automotivo, teve de reduzir seus ganhos. “Nosso lucro caiu consideravelmente no ano passado”, informa o diretor vice-presidente, Issao Mizoguchi, que não revela números.

A estratégia da marca para garantir bom espaço no quarto maior mercado mundial de motos foi segurar os preços, mesmo com produtos renovados e introdução de tecnologias como injeção eletrônica, catalisadores e motor flex, equipamentos que ainda não estão presentes nos veículos de muitos dos concorrentes.

Em 2009, segundo Mizoguchi, a Honda renovou toda sua linha e lançou 13 produtos. A nova fábrica é independente da atual, que deve fabricar este ano 1,43 milhão de motocicletas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.