Gafisa terá de acelerar lançamentos da Tenda no 2o semestre

SÃO PAULO, 4 de agosto (Reuters) - A Gafisa terá de aumentar o ritmo de lançamentos voltados ao segmento econômico, por meio da Tenda, até o final do ano a fim de cumprir a meta traçada para 2010.

A construtora e incorporadora estima lançar entre 4 bilhões e 5 bilhões de reais no fechado do ano, sendo que as unidades de baixo padrão devem responder por entre 40 e 45 por cento desse volume.

Se considerado o ponto médio da meta (4,5 bilhões), a companhia cumpriu 38 por cento do montante previsto na primeira metade do ano. Uma revisão do 'guidance', contudo, é descartada pela empresa, que considera o número do primeiro semestre "em linha com a sazonalidade do período".

"O volume de Tenda no segundo semestre terá de ser muito maior. Temos 'pipeline' (volume de projetos) suficientemente forte para atender o guidance", disse o diretor presidente da Gafisa, Wilson Amaral, em teleconferência nesta quarta-feira para comentar os resultados divulgados na véspera.

Segundo ele, a maior concentração de lançamentos da Tenda na segunda metade do ano já era prevista em decorrência da incorporação da empresa pela Gafisa, o que demandou adequação de banco de terrenos, por exemplo.

No segundo trimestre, os lançamentos da companhia somaram 1 bilhão de reais. Deste total, a Tenda correspondeu a pouco mais de 290 milhões de reais. Já as vendas contratadas foram de 889,8 milhões de reais no período, sendo o segmento econômico responsável por 304,7 milhões de reais.

"Baixa renda sempre vai ficar entre 40 e, no máximo, 50 por cento. Não queremos concentrar nem muito no médio-alto (padrão) nem muito no baixo", afirmou Amaral, se referindo à estratégia que será mantida pela empresa.

Na noite de terça-feira, a Gafisa divulgou um aumento de 68 por cento no lucro líquido do trimestre encerrado em junho, atingindo 97,3 milhões de reais.

Entre abril e junho, a empresa registrou uma leve queda na velocidade de vendas, medida pela relação de venda sobre oferta, que ficou em 24,6 por cento, ante 25,1 no trimestre anterior.

Para o executivo, o indicador deve se manter na casa dos 25 por centos nos próximos períodos. "A pressão de preços que existe no mercado vai continuar existindo nos próximos 18 meses e não imagino mudança de velocidade de vendas", disse ele.

Até o final de 2010, a companhia prevê a entrega de 20 mil unidades, tendo cumprido 40,7 por cento desse volume no primeiro semestre. Em 2009, as entregas totalizaram 10.831.

"As obras estão sob controle... estamos entrando num volume mais estável de operação", assinalou o vice-presidente financeiro da Gafisa, Duilio Calciolari.

Buscando acelerar o ritmo de obras, a companhia passou a utilizar, por meio da Tenda, um método de construção com formas de alumínio em sete projetos e, até o final deste ano, deve ampliar a aplicação para 15. Com isso, o ciclo produtivo pode ser reduzido em seis meses, conforme Calciolari.

As ações da Gafisa recuavam 2,13 por cento às 11h55 nesta quarta-feira, enquanto o Ibovespa exibia queda de 0,32 por cento.

(Por Vivian Pereira)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.