Tamanho do texto

Gigante do setor de celulose, controlada pela Votorantim, ainda enfrenta um forte endividamento que vem corroendo seus ganhos

O lucro liquido da Fibria, a fabricante de celulose resultado da compra da Aracruz pela Votorantim Celulose e Papel, caiu de R$ 1,2 bilhão no primeiro trimestre de 2009 para meros R$ 9 milhões nos primeiros três meses deste ano - uma redução de 99%, segundo revelou a companhia em um documento entregue nos primeiros minutos deste sábado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O impacto da variação cambial e os juros sobre o serviço da dívida acabaram afetando fortemente o desempenho final da maior fabricante de celulose de eucalipto do mundo. O resultado só foi positivo porque a empresa reverteu uma provisão de impostos em seu balanço.

Mesmo gerando mais caixa e melhorando a rentabilidade, a Fibria ainda enfrenta um forte endividamento, que aumentou 2% no fim do primeiro trimestre de 2010 na comparação com dezembro de 2009, para R$ 10,8 bilhões. A receita líquida aumentou 17%, para 1,67 bilhão, graças ao cenário de forte demanda do setor de celulose, com aumentos consecutivos de preços, acima dos níveis pré-crise econômica, no fim de 2008.

A relação entre a dívida líquida e Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês), caiu e ficou em 5,6 vezes. Em dezembro, esse indicador era de 6,3 vezes.

A produção de celulose foi reduzida em 6% na comparação do primeiro trimestre em relação aos últimos três meses de 2009 por causa da venda da fábrica de Guaíba, no Rio Grande do Sul. Na comparação com igual período de 2009, a produção evoluiu 27%, porque a fábrica de Três Lagoas (MS) não havia entrado em operação. A Fibria produziu no primeiro trimestre 1,3 milhão de toneladas de celulose.

A Fibria, que é controlada pelo grupo Votorantim e recebeu um aporte de recursos do BNDES para viabilizar a operação de fusão com a Aracruz que havia sofrido pesados prejuízos em operações desastradas com derivativos, emitiu um bônus de US$ 750 milhões recentemente para melhorar seu perfil de endividamento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.