Tamanho do texto

O FDA, agência de vigilância sanitária dos Estados Unidos, está prestes a aprovar o salmão geneticamente modificado para consumo humano

selo

O FDA, agência de vigilância sanitária dos Estados Unidos, está prestes a aprovar o salmão geneticamente modificado para consumo humano. Por ser o primeiro produto de origem animal geneticamente modificado, a decisão já está gerando controvérsias. Na semana passada, pesquisadores do FDA deram um empurrão à AquAdvantage, empresa de Massachusetts que busca a aprovação do salmão geneticamente modificado, ao afirmar que o produto é seguro para consumo humano e não representa uma ameaça para o meio ambiente. "O salmão da AquAdvantage é tão seguro para consumo quanto qualquer outro salmão do Atlântico", afirmou o FDA em um comunicado. As conclusões finais do órgão serão apresentadas no dia 19, em um painel científico que ajudará o FDA a tomar a decisão final sobre a aprovação do salmão geneticamente modificado. O salmão da AquAdvantage, que foi batizado com o mesmo nome da empresa que o desenvolveu, recebeu um gene de uma lampreia do oceano, peixe semelhante a uma enguia. Esse gene permite ao salmão crescer duas vezes mais rápido do que qualquer outra espécie de salmão do Atlântico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.