A operação brasileira da companhia de energia elétrica portuguesa EDP prevê realizar no Brasil investimentos aproximados de R$ 2 bilhões até 2011. No ano passado, os desembolsos da empresa somaram R$ 785,7 milhões.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561464389&_c_=MiGComponente_C

O plano da companhia é destinar um terço dos recursos para a área de distribuição, deixando a parcela remanescente para a área de geração, informou hoje o presidente da EDP no Brasil, António Pita de Abreu.

Para dar suporte ao plano de expansão, a empresa já fechou uma linha de financiamento de US$ 327 milhões com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e outra de R$ 1,4 bilhão com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O banco de fomento nacional também já aprovou os outros R$ 900 milhões para a empresa por meio da modalidade CALC. De acordo com Abreu, a companhia ainda deve fechar neste mês um financiamento de 90 milhões de euros com o Banco Europeu de Investimentos (BEI).

Paralelamente a esses investimentos, a EDP tocará neste ano por meio da holding EDP Renováveis a construção de um parque eólico em Tramandaí, no litoral do Rio Grande do Sul.

O projeto prevê uma capacidade de 70 megawatts e tem orçamento previsto de 100 milhões de euros. Até o final deste mês, a EDP deve lançar a pedra fundamental da unidade de Tramandaí, com previsão de início das operações até o final deste ano.

Leia mais sobre EDP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.