Nova York, 16 jul (EFE).- O diretor da Playboy Enterprises, Russell Pillar, pediu demissão após a proposta de compra da empresa pela FriendFinder Networks, a companhia proprietária da revista "Penthouse", segundo um documento apresentado pela primeira à comissão de valores mobiliários americana (SEC).

Nova York, 16 jul (EFE).- O diretor da Playboy Enterprises, Russell Pillar, pediu demissão após a proposta de compra da empresa pela FriendFinder Networks, a companhia proprietária da revista "Penthouse", segundo um documento apresentado pela primeira à comissão de valores mobiliários americana (SEC). Pillar, que entrou no conselho de administração da Playboy sediado em Chicago em 2003, disse que sua saída foi efetivada ontem. O executivo explicou que sua decisão não era resultado de divergências com a empresa, mas porque "não podia prosseguir com os compromissos que a companhia exige neste momento". A Playboy já anunciou que não substituirá o diretor por enquanto. A companhia recebeu uma oferta de compra da dona da concorrente "Penthouse" por US$ 210 milhões e outra de seu próprio fundador, Hugh Hefner, de US$ 185 milhões, que contaria com a participação do grupo de investimentos Rizvi Traverse Management. Na segunda-feira, Hefner fez sua proposta e disse que sua intenção era tirar a Playboy do mercado de ações. A companhia foi afetada por uma crescente queda da publicidade na revista "Playboy", seu carro-chefe, e por um forte aumento na concorrência dos conteúdos adultos na internet. Hefner tem 69,5% do capital da Playboy Enterprises, mas detém apenas 27,7% dos títulos de classe B, os que dão direitos políticos. O fundador da "Playboy" sustenta que, dada sua preocupação com a marca, a direção da revista e o legado da empresa, não tem interesse em vender ou fundir a companhia ou mesmo se desfazer de suas ações. No entanto, a FriendFinder garante que sua oferta responde melhor aos interesses da companhia e de seus acionistas, já que "daria as bases para um futuro crescimento da marca e de seu legado". O executivo-chefe da FriendFinder, Marc Bell, disse na quinta-feira que deseja contar com a colaboração de Hefner e de outros "gerentes fundamentais para que sejam parte integral da companhia resultante" de uma eventual fusão. Além de ser proprietária da "Penthouse", a FriendFinder tem mais de 30 sites em 180 países. Na abertura do mercado nova-iorquino, as ações da Playboy perdiam 0,36%, até US$ 5,50. EFE. emm/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.