Tamanho do texto

Em processo de 2001, funcionárias acusam rede varejista de pagar salário menor e promover menos a equipe feminina

Funcionárias do Walmart venceram nesta segunda-feira um julgamento histórico por discriminação de gênero no salário e na promoção no trabalho, que poderia colocar a empresa frente ao maior processo coletivo da história dos Estados Unidos, com mais de um milhão de reivindicações.

O voto de seis juízes a favor e cinco contra, de um juizado de San Francisco, confirmou a rejeição à apelação da companhia no maior processo sobre discriminação de gênero da história dos Estados Unidos. O caso remonta de 2001, quando seis funcionárias do Walmart apresentaram um requerimento diante de um tribunal federal de San Francisco.

A denúncia declarava que a rede de supermercados pagava menos para as mulheres que para os homens que exercem o mesmo tipo de função e que recebiam menos promoções e tinham que esperar mais tempo para consegui-las. A empresa deu início a uma batalha legal para combater a denúncia, mas perdeu a apelação em duas ocasiões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.