Publicidade
Publicidade - Super banner
Empresas
enhanced by Google
 

Vivo diz que desconhece ação da Telefónica de pôr caso na Justiça

Tele espanhola ameaça pedir o fim da Brasicel, holding que controla a Vivo

Valor Online |

SÃO PAULO - Em resposta aos questionamentos da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre a decisão da espanhola Telefónica de ir aos tribunais pelo fim da Brasilcel (holding que controla a Vivo), a Vivo respondeu nesta segunda-feira que não está informada sobre a medida.

"A companhia vem replicando todos os comunicados oficiais postados por seus acionistas nas Comissões de Valores Mobiliários estrangeiras onde os mesmos têm seus respectivos valores mobiliários transacionados, sendo que o tema em comento não ensejou a divulgação de qualquer Fato Relevante seja na Comissão Nacional de Mercado de Valores (CNMV da Espanha) ou na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM de Portugal)", afirmou, de modo evasivo, a operadora brasileira em nota.

A Telefónica já havia informado, no entanto, que contratou escritórios especializados em dissolução de sociedades para analisar a possibilidade de ir ao tribunal de Haia. Diante dessa possibilidade, os acionistas da Portugal Telecom já demonstram preocupações e pedem que as empresas retomem as negociações.

O presidente do Banco Espírito Santo (BES), Ricardo Salgado, afirmou que "a melhor forma de acrescentar valor para a PT e para a Telefónica, será sentarem-se à mesa e discutirem o problema abertamente". O executivo, durante apresentação dos resultados do banco, disse ainda que está nas mãos do governo a decisão sobre o avanço do negócio. "O problema surgiu porque o Estado português exerceu a 'golden share'. Portanto, o Estado português é que tem a chave da questão", defendeu o executivo.

O BES, segundo afirmou Salgado, vai apoiar a PT nos investimentos que definir no Brasil, como a compra de participação na Oi. "Ainda não sei se será a Oi. Há outras alternativas. Espero que venha a acontecer rapidamente", afirmou.

Agências de notícias ibéricas já informam que a PT pretende adquirir de 30% a 40% do capital da Oi, assim que a Telefónica conseguir comprar a participação da PT na Brasilcel. O BES tem 7,99% de participação na Portugal Telecom. No início do mês, as negociações entre a empresa portuguesa e a espanhola sobre a Vivo foram interrompidas. A Telefónica retirou sua terceira oferta, depois que a PT pediu a prorrogação da proposta de 7,15 bilhões de euros da espanhola.

Leia tudo sobre: VivoTelefónica

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG