A companhia aérea comprou a Pantanal e assumiu um passivo de R$ 90 milhões; débitos com fornecedores somam R$ 18 milhões

A TAM prevê quitar já em abril a dívida com fornecedores carregada pela Pantanal Linhas Aéreas, que foi adquirida por R$ 13 milhões em dezembro em meio a um processo de recuperação judicial. O passivo a ser pago soma aproximadamente R$ 18 milhões, mas é preciso deduzir do montante uma parcela de R$ 6 milhões correspondente a uma dívida da Pantanal com a própria TAM.

Entre as obrigações de curto e longo prazo, a dívida total da Pantanal chega a R$ 90 milhões, conforme informou hoje o presidente da TAM Linhas Aéreas, Líbano Barroso, durante apresentação à imprensa dos resultados da companhia aérea em 2009, quando o lucro somou R$ 1,3 bilhão. O executivo assinalou que o plano é aumentar a malha das cidades atendidas pela Pantanal, que tem potencial de atingir uma frota de 20 aeronaves em um prazo de 3 a 5 anos. Atualmente, a frota é de 5 aeronaves.

"Serão aviões com capacidade de 100 a 150 assentos", disse Barroso, acrescentando que aeronaves desse porte se enquadram nas categorias produzidas pelos fabricantes Embraer, Airbus e Bombardier. Segundo ele, os melhores aviões de 100 a 120 assentos são produzidos pela Embraer, mas a TAM ainda terá que avaliar se optará por aeronaves maiores do que essa capacidade. Só neste ano, está prevista a chegada de 3 a 4 aeronaves para a frota da Pantanal.

A meta da TAM é fechar o ano com 148 aviões, 16 a mais do que o número de 2009, quando não foram contabilizadas as cinco aeronaves da Pantanal. Os novos aviões, segundo Barroso, começam a chegar a partir do segundo trimestre.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.