Tamanho do texto

Procura-se Sonya Lee

selo

Procura-se Sonya Lee. Ela deve ter cintura dobrável, vestir blusa verde, ter uma máquina fotográfica roxa pendurada no pescoço e o nome impresso nos pés. O brinquedo acaba de ser incluído numa operação de recall. Ao todo, oito dessas bonecas, que fazem parte do Acampamento Divertido Little People e não medem mais do que um palmo, foram vendidas no Brasil pela americana Mattel Fisher-Price. O volume é pífio, mas foi suficiente para incluir o País no anúncio de recall. Foram vendidas entre 16 e 31 de julho cinco unidades no Estado de São Paulo, uma na Paraíba e outra em Goiás. Nos Estados Unidos, o recall afetou 96 mil unidades e começou a ser feito na semana passada. No Canadá a operação envolveu 14 mil bonequinhas. Fora do Brasil, custa cerca de US$ 20. O brinquedo completo é composto por seis peças de plástico e inclui uma boneca Sonya Lee, uma tenda e acessórios. O número de identificação do produto (R6935) está impresso na embalagem. O risco, segundo o fabricante, é que a cintura da boneca se quebre e libere peças pequenas que, se eventualmente engolidas, levariam a asfixia. A troca da bonequinha é feita gratuitamente pelo fabricante. O dono do produto deve entrar em contato com a Mattel pelo telefone (0800 7701207) ou pelo site para fazer o cadastro (www.informacoesmattel.com.br). A empresa enviará pelo correio uma autorização de postagem, que permite o envio da peça pelo Correio sem despesa. O cliente tem a opção de receber o dinheiro pago pela boneca de volta ou ganhar uma outra boneca Sonya Lee. A resposta da companhia aos clientes têm de ser dada em até 30 dias, a partir da data do recebimento do brinquedo. Amparo legal. O Fundação Procon de São Paulo divulgou uma nota sobre o problema. Segundo a entidade, por haver a possibilidade de acidente com risco à saúde e segurança das crianças, o atendimento deve ser de imediato. Se o consumidor tiver alguma dificuldade para efetuar a substituição ou reembolso, a orientação é procurar um órgão de defesa do consumidor e registrar a queixa contra a empresa. Ainda segundo o Procon, se o consumidor já passou por algum acidente causado pelo defeito, deve solicitar por meio do Judiciário a reparação por danos morais e patrimoniais eventualmente sofridos. O contato com a fundação pode ser feito em São Paulo pelo telefone 151, pelo fax (011) 3824-0717 ou por meio de cartas para Caixa Postal 3050, CEP 01031-970, São Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.