Tamanho do texto

Processo de aumento dos ramos de atividade do grupo, iniciado em 2007, incluirá agora centros comerciais e um "shopping virtual"

Controlador de uma das maiores redes de livrarias do País, o grupo Nobel quer diversificar ainda mais suas atividades em 2010. Em maio, o grupo vai lançar um shopping virtual, canal de vendas pela internet que juntará lojas online de varejistas ainda sem vendas pela rede. Os preparativos para o novo portal ocorrem ao mesmo tempo em que se acertam os detalhes para lançamento de uma rede de centros comerciais, inspirados nos modelos americanos de shopping de vizinhança.

O grupo planeja ainda realizar ao menos mais uma aquisição neste ano. Em 2008, a Nobel comprou, por R$ 36 milhões, 60% da Golden Services, dona das marcas Sapataria do Futuro e Costura do Futuro. As duas redes prestam serviços de consertos de sapatos e reformas de roupas e têm mais de 300 lojas no Brasil e exterior. A criação das redes Zastras e Nobex _braços do grupo que atuam nos mercados de brinquedos e papelaria, respectivamente_, também fez parte desse processo de diversificação.

No comércio tradicional, a Nobel prevê inaugurar três centros comerciais, todos no município de São Paulo. As unidades já têm localização definida e estão em fase de venda de espaços. Porém, os centros só serão abertos depois que o grupo passar a entender um pouco mais desse mercado. Atualmente, há uma unidade-piloto em Taubaté (SP), já em operação. As marcas do grupo farão parte dos empreendimentos, mas a iniciativa estará aberta a parcerias com outros varejistas.

Com quase 70 anos de vida, o processo de expansão do grupo começou com a compra do Café Donuts, em 2007. “Percebemos que tínhamos aptidão e conhecimento sobre o mercado de franquias e resolvemos investir em marcas com potencial nesse segmento”, disse Sérgio Benclowicz, diretor de compras do grupo. Ele afirma que 80% dos negócios de uma rede de franquias são comuns entre si. “Para administrar uma marca, independentemente do segmento, é possível usar a mesma estrutura de administração.”

Falta de interesse

Nem todos os processos de diversificação da empresa, no entanto, renderam bons resultados. A Nobel chegou a fechar parceria com a rede Gimba para entrar no mercado de atacarejo. A ideia era lançar lojas da Nobex ,que competissem com a rede Kalunga, especializada em venda de material de escritório, mas a falta de interesse de empresários em abrir filiais do novo modelo não levou o negócio adiante. A marca Nobex continua, mas com o perfil de papelaria de varejo.

O shopping virtual, ao qual a Nobel também passará a se dedicar, é um passo num ramo em que outras empresas naufragaram _caso, por exemplo, do Banco Real, que lançou em 2002 o shopping virtual Qualivillas, fechado três anos depois. “Mas a experiência pode render bons frutos”, afirma Mauricio Kigiela, especialista em e-commerce e diretor do Site Blindado, empresa de segurança na internet que pertence à Ideiasnet, companhia que compra participações em outras empresas. "A ação do grupo é uma maneira de reforçar a confiança que os consumidores têm na marca", diz. "Como a Nobel já é conhecida no mercado, o usuário irá se sentir seguro para fazer uma compra online."

Mesmo com os percalços, o grupo manteve e ampliou a estratégia de expansão: o shopping virtual está entre suas prioridades para 2010. “Já temos grandes redes interessadas em participar da iniciativa e estamos estudando algumas propostas de sociedade”, afirma Benclowicz. As parcerias devem ser anunciadas em dois meses.

A Nobel nasceu em São Paulo, em 1943, por iniciativa de imigrantes italianos. Atualmente, o grupo possui mais de 500 lojas distribuídas em todo o País e também exterior. Para este ano, a previsão é que mais 77 unidades sejam inauguradas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.