Rede controlada pelo BTG Pactual, do bilionário banqueiro André Esteves, assume pontos comerciais da Farmácia dos Pobres

A Farmais, empresa controlada pelo BTG Pactual que administra a maior rede de farmácias em sistema de franquias do Brasil, está desembarcando no Nordeste.

Rede Farmais, controlada pelo BTG Pactual: aposta do banqueiro André Esteves na economia
Divulgação
Rede Farmais, controlada pelo BTG Pactual: aposta do banqueiro André Esteves na economia "real"
A rede finaliza a compra de oito lojas da Farmácia dos Pobres, uma das redes mais tradicionais da região, que está em recuperação judicial. A loja mais antiga da Farmácia dos Pobres foi fundada no Recife em 1876 como Pharmácia dos Pobres.

A operação inclui apenas os pontos comerciais da rede em Pernambuco e na Paraíba, excluindo a antiga marca. Procurada, a assessoria de imprensa do BTG Pactual disse que não comentaria o assunto.

A intenção é que os estabelecimentos passem a utilizar a bandeira Farmais, segundo disseram ao iG pessoas a par da negociação. A venda das oito lojas já foi autorizada pela Justiça de Pernambuco para abater a dívida no processo de recuperação da N Landim Comércio, razão social que controla a marca Farmácia dos Pobres.

A Farmais é controlada pelo BTG Pactual desde 2009 quando o banqueiro André Esteves, sócio da instituição, decidiu apostar em ativos ligados à “economia real” – negócios fora da área financeira, que incluiu empresas no setor de estacionamentos (rede Estapar), combustíveis (postos Aster e ViaBrasil) e hospitais (rede D´Or).

A Farmais é considerada a maior rede de drogarias do País no sistema de franquias, com cerca de 430 franqueados no Brasil. Suas lojas estão distribuidas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul.

A Farmácia dos Pobres entrou em recuperação judicial em 2008 alegando dificuldades financeiras. Sua dívida era de R$ 55 milhões, principalmente com fornecedores.

No plano de recuperação judicial, a empresa já se desfez de praticamente todas as suas lojas, que chegaram a três dezenas. O grupo paulista PoupaFarma assumiu metade deles. Com a saída do varejo farmacêutico, a intenção dos administradores é que a N Landim se torne uma distribuidora de medicamentos na região.

A marca deverá ainda ser alienada. Registrada no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), o nome Farmácias dos Pobres é avaliado em cerca de R$ 30 milhões. Será que o bilionário André Esteves o comprará?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.