Publicidade
Publicidade - Super banner
Empresas
enhanced by Google
 

Ex-sócio do BuscaPé viajou o mundo e montou duas novas empresas

Mario Letelier criou a companhia em 1999, aos 23 anos, junto com outros três amigos, mas vendeu sua participação em 2009

Marina Gazzoni, iG São Paulo |

Antes de completar 30 anos, o administrador de empresas Mario Letelier conquistou o sucesso profissional. Junto com outros três amigos, ele criou o BuscaPé em 1999. De lá para cá, viu a empresa crescer, atrair investidores e se internacionalizar. Enquanto seus ex-sócios permanecem na diretoria da companhia até hoje, Letelier partiu para outros desafios. Ele se afastou da gestão do BuscaPé em 2006 e se desfez das ações da companhia em 2009, quando o fundo sul-africano Naspers comprou 91% da empresa por US$ 342 milhões.

“Eu percebi que já tinha conquistado várias metas profissionais, como montar uma empresa do zero e fazer dela líder de mercado. Mas, pessoalmente, eu queria mais”, afirmou Letelier em entrevista ao iG, concedida por telefone, da China.

Em agosto de 2006, ele pediu afastamento do BuscaPé para se dedicar a um projeto pessoal: dar uma volta ao mundo. Letelier colocou uma mochila nas costas e percorreu mais de 50 países até 2008, uma experiência que classificou como “enriquecedora”. “Sempre li muito sobre outras culturas. Antes, a minha visão sobre o mundo era teórica. Agora, é prática”, diz o empresário, hoje com 34 anos.

Divulgação
Mario Letelier, em viagem ao Lago Karakul, na fronteira da China com Afeganistão e Paquistão

Quando chegou à China, Letelier resolveu ficar. A força da economia do país fez com que ele sentisse novamente o desejo de empreender. O empresário aproveitou o espírito esportivo por qual passava a China em 2008, quando sediou a Olimpíada de Pequim, e abriu sua segunda empresa, na área de marketing esportivo. Batizada como Infinito Esportes, na tradução para o português, a empresa tem parcerias com o governo chinês para a promoção de eventos esportivos.

Da China, Letelier abriu sua terceira empresa, sediada no Brasil. Trata-se de uma companhia de tratamento de resíduos, criada há cerca de um ano, em sociedade com outros dois amigos que conheceu na faculdade, a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Letelier reconhece que dificilmente criará outro gigante como o BuscaPé, mas diz que continua em busca de novos empreendimentos. “Foi uma das melhores realizações da minha vida, mas a empresa ficou maior do que eu”, diz.

Enquanto viajava, Letelier ainda era dono de parte do BuscaPé. Ele saiu da sociedade no ano passado, quando a Naspers comprou 91% das ações. O ex-acionista não revela por quanto vendeu sua participação. Letelier ressalta que não criou o BuscaPé e nenhuma das suas duas novas empresas para revendê-las, mas, no caso do BuscaPé, viu uma oportunidade de negócios.

Carreira no BuscaPé

Letelier foi o último a entrar na sociedade. Administrador de empresas, ele se associou aos três engenheiros Romero Rodrigues, Ronaldo Morita e Rodrigo Borges para transformar o projeto de um site de comparação de preços em uma empresa.

Até 2001, ele se dedicou ao processo de captação de recursos e de reestruturação da companhia para sobreviver à bolha da internet, que estourou no início dos anos 2000. Depois, assumiu a missão de implementar o modelo de pagamento por clique e convencer os varejistas a pagar para ter seus anúncios divulgados no BuscaPé.

Por fim, iniciou a estratégia de internacionalização do site. Sua última função na empresa reacendeu o desejo de conhecer o mundo, que o motivou a deixar a companhia para se dedicar a novos projetos.
 

Leia tudo sobre: BuscaPéinternetempreendedorismo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG