Segundo levantamento da Embraesp, empreendimentos de luxo perdem espaço na cidade para unidades mais baratas

O Morumbi, bairro da zona sul da capital paulista, abriga o apartamento que figura no topo da lista dos mais caros já vendidos em São Paulo. Em 2004, segundo dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), uma cobertura localizada na rua Circular do Bosque custou R$ 19,5 milhões, em valores da época.

Vista do hall de entrada do prédio que tem a cobertura mais cara dos últimos 25 anos em São Paulo; unidade foi vendida em 2004 por R$ 19,5 milhões
Divulgação
Vista do hall de entrada do prédio que tem a cobertura mais cara dos últimos 25 anos em São Paulo; unidade foi vendida em 2004 por R$ 19,5 milhões
Na relação preço/área útil, no entanto, a cobertura mais cara da cidade foi lançada em dezembro de 2006. Cada metro quadrado do apartamento, na rua Franz Schubert, no Jardim Europa, também na zona sul, saiu por cerca de R$ 16,3 mil – no total, o imóvel foi vendido por R$ 18,5 milhões. O metro quadrado da cobertura do Morumbi saiu por R$ 13 mil.

O lançamento de unidades de luxo, com quatro dormitórios ou mais, vem perdendo espaço nos últimos anos para imóveis de dois e três quartos. Em 2009, a queda no lançamento desse tipo de imóvel foi de 44,6% em relação ao ano anterior, segundo a Embraesp. Na comparação com os números de 2007, as vendas do ano passado caíram quase 70%.

Lançamentos econômicos

De acordo com Samantha Furlan, coordenadora de pesquisa e análise de mercado da Embraesp, o programa Minha Casa Minha Vida, a redução dos juros e o aumento do financiamento contribuíram para o aumento das vendas de imóveis mais econômicos. “Isso permitiu o acesso para realizar o sonho de qualquer brasileiro, que é ter a casa própria”, diz Samantha.

Em número de lançamentos de unidades residenciais, o primeiro quadrimestre de 2010 já superou o mesmo período dos últimos dois anos. Foram 18.789 unidades este ano, enquanto que 2009 teve 16.885 unidades lançadas, 28% delas com custo de até R$ 130 mil.

Apesar do aumento da oferta de unidades econômicas, o valor do metro quadrado registrou alta nos últimos anos. De R$ 3.158 praticados em 2008 na região metropolitana de São Paulo, o metro quadrado de área útil passou a valer, em média, R$ 3.399 no ano passado. Considerando somente a capital paulista, o preço do metro quadrado variou de R$ 3.578 em 2008 para R$ 3.843 em 2009.

O bairro com a mais elevada relação preço por área útil em 2009, de acordo com levantamento da Embraesp, foi o Jardim Europa, com a média de R$ 11 mil por metro quadrado. A região ficou também com o lançamento mais caro em 2010: um apartamento de 560 metros quadrados de área útil localizado no bairro saiu por pouco mais de R$ 3,6 milhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.