Já adotada na Ásia e na Europa, tecnologia enfim ganha espaço no maior mercado consumidor do mundo: os Estados Unidos

Os códigos de barras, aquelas imagens em preto e branco que têm aparecido em revistas, cartazes e outdoors, estão chegando à televisão. Do conforto de seus sofás, os usuários de celulares podem digitalizar um código de barras incorporado em comerciais veiculados em certos programas do canal Bravo, da TV norte-americana, e imediatamente obter informações adicionais sobre o produto, além de um desconto para comprá-lo.

Um dos comerciais da loja virtual Bluefly, exibidos pelo canal Bravo: com ajuda de um celular, o código de barras (no canto inferior direito) mostra mais ofertas
The New York Times
Um dos comerciais da loja virtual Bluefly, exibidos pelo canal Bravo: com ajuda de um celular, o código de barras (no canto inferior direito) mostra mais ofertas

Os comerciais de 45 segundos, criados pela loja de moda online Bluefly, mostram trechos de seu programa de entrevistas com estilistas e celebridades como Bethenny Frankel (estrela de reality shows da televisão dos EUA) e o patinador olímpico Johnny Weir.

Quando o celular está apontado para o código de barras na tela, o usuário consegue acesso a um episódio completo do programa de entrevistas, que pode ter até cinco minutos de duração, e oferecer um desconto de US$30 em uma compra de US$ 150 no site da loja, o Bluefly.com, que vende roupas de grife e outros acessórios.

"Vemos isso como uma ótima maneira de ampliar o nosso público de uma forma mensurável", disse Bradford Matson, diretor chefe de marketing da Bluefly. "Isso é novo para nós, mas esperamos que o acesso a nossas páginas dobre".

A audiência do canal Bravo "é muito engajada na cultura pop e de moda ", afirmou Matson. Em temporadas anteriores, a Bluefly trabalhou com a popular série de televisão "Project Runway", na qual estilistas iniciantes competem. (O programa agora pertence ao canal Lifetime. No Brasil, é exibido pelos canais E! e Liv).

A logomarca do canal Bravo, da TV dos EUA, que exibe os comerciais com códigos de barras da Bluefly
Reprodução
A logomarca do canal Bravo, da TV dos EUA, que exibe os comerciais com códigos de barras da Bluefly
Limitações técnicas

Os códigos de barras têm sido utilizados mais amplamente na Ásia e Europa, inclusive na televisão, mas nos Estados Unidos a falta de um código padrão – uma reminiscência da discussão sobre os formatos VHS e Beta – bem como o número relativamente pequeno de usuários de celulares inteligentes, desacelerou o uso da tecnologia, disse Michael Becker, diretor da Associação de Marketing Mobile da América do Norte.

"O uso de códigos de barras está começando a se espalhar", ele disse, "porque mais pessoas estão usando telefones inteligentes e muitos desses telefones têm o aplicativo de digitalização necessário para ler os códigos".

As taxas cobradas para o uso de telefones celulares – se o usuário tem um plano de acesso à internet ou paga por download de dados – também têm impedido tais tecnologias móveis. Mesmo assim, um relatório divulgado no mês passado pela Nielsen prevê que os telefones inteligentes, que hoje respondem por 25% do mercado móvel no país, vão ultrapassar os celulares comuns até o final de 2011.

A campanha na Bravo usa o código de barras tradicional, chamado de QR, abreviação em inglês para resposta rápida, para conectar o usuário sem fio a websites, fotografias ou vídeos a partir de um comercial. A campanha, criada internamente e produzida em parceria com a Moxie Pictures, emprega o software Scanbuy. Concorrentes como a JagTag utilizam uma tecnologia diferente e seus códigos de barras podem ser coloridos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.