Maior companhia de processamento de pagamentos online da AL quer atrair novas empresas de comércio eletrônico para o Brasil

A Braspag, empresa processadora de pagamentos online do grupo Silvio Santos, que tem entre seus clientes os sites Americanas.com, Submarino e Mercado Livre, se prepara para um grande salto no seu processo de internacionalização. A companhia planeja inaugurar suas primeiras filiais fora do território nacional no próximo ano e, com isso, atrair novas empresas do setor de comércio eletrônico para o mercado brasileiro.

Os locais escolhidos foram Cidade do México e Nova Iorque. Renann Fortes, gerente de operações da Braspag, afirma que a empresa pretende promover um intercâmbio entre as companhias nacionais e internacionais dessas regiões. “Além de abrir mercado para as empresas de fora, queremos também levar sites de vendas online brasileiros para outros países”, diz.

Renann Fortes:
Divulgação
Renann Fortes: "Queremos atrair novas empresas do setor de comércio eletrônico para o mercado brasileiro"
A companhia atua como centralizadora de pagamentos nos sites de compra online, já que, para as lojas de comércio eletrônico é inviável administrar todas as operações de pagamentos. Ela concentra em uma única plataforma as opções de pagamento com todos os cartão de crédito, débito em conta corrente e boleto bancário e presta o serviço para as empresas do segmento online. Cobra entre R$ 0,10 e R$ 0,90 por transação, sendo que, quanto maior o volume de negócios, mais barata é a tarifa.

A Braspag tem mais de 1,1 mil clientes em seu portfólio. No ano passado, ela movimentou R$ 8,5 bilhões e a expectativa para este ano é chegar a R$ 10 bilhões. Na América Latina, a companhia é líder do segmento e possui 75% do mercado no Brasil, segundo Fortes. Em países, como México, Colômbia, Chile e Argentina, a empresa já opera a partir do Brasil. Nos Estados Unidos e Europa, mantém parceria com grandes operadoras do setor, como a Cyber Source, maior empresa da área no mundo, e a Global Collect.

Segundo Fortes, a empresa não está investindo valores elevados para a implantação dos escritórios internacionais, mas os processos burocráticos podem deixar a inauguração das filiais para o segundo semestre de 2011. Ele não revela o valor do investimento, mas afirma que toda receita vinda dos outros países vai se concentrar no Brasil.

A companhia não pretende disputar mercado com nenhuma empresa local nos países onde vai atuar. “Conversamos com nossa parceira Cyber Soucer, pois não temos a intenção de roubar ou disputar mercado com ela ou com nenhuma outra empresa que atua no mesmo segmento que a Braspag”, diz Fortes. “Queremos conquistar empresas internacionais para trazê-las para o Brasil.”

Ainda não existe nenhuma parceria fechada. Mas o setor aéreo é um segmento no qual a companhia pretende fechar negócios. Isso porque, muitas companhias internacionais ainda não disponibilizam para brasileiros a opção de compra de passagem via a internet com cartão de crédito.

Desde 2005 no mercado, a Braspag foi comprada em 2009 pelo grupo Silvio Santos. O valor da operação foi de R$ 25 milhões. A compra foi motivada pelo bom desempenho da empresa. Depois da venda, a companhia dobrou o número de transações processadas via internet. “O bom momento econômico do País e a credibilidade do nome Silvio Santos duplicou nossa atuação”, afirma Renann Fortes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.