O presidente da Azul, Pedro Janot, disse ontem que a empresa quer vender para a baixa renda, que começa a ter acesso a novos serviços

selo

O presidente da Azul, Pedro Janot, disse ontem que a empresa quer vender para a baixa renda, que começa a ter acesso a novos serviços. Para isso, passagens poderão ser comercializadas até em supermercados. A TAM também tem planos para vender bilhetes à classe C nas lojas da Casas Bahia. ¿Estamos buscando a nova classe emergente, que já é tão poderosa em outros setores. Queremos trazer esse cliente pela mão da Azul para andar de avião, deixando para trás o ônibus¿, declarou Janot. Isso deve ocorrer por meio de formas de pagamento facilitadas que a empresa está adotando para atrair não só a população de baixa renda, mas aqueles que têm familiaridade com a internet. Entre as novidades para ampliar o leque de clientes, o presidente da Azul informou que a empresa poderá vender bilhetes a prestação em cartão de débito e ¿cartão de crédito recorrente¿, modalidade que em que só é bloqueado no limite do cartão o valor da parcela mensal descontado, o que beneficia quem não tem crédito alto. As passagens também poderão ser vendidas por boleto à vista ou parcelado, além de pagamento em cheque parcelado. ¿Só não voa quem não quer¿, afirmou o diretor comercial da Azul, Paulo Nascimento. Hoje, a TAM anuncia em São Paulo uma parceria com a Casas Bahia para usar a estrutura da rede na venda de passagens. O objetivo do negócio é aproveitar o crescimento da demanda por viagens entre os consumidores da classe C. Para a nova fase de popularização das viagens aéreas junto aos consumidores emergentes, a companhia deve confirmar Ivete Sangalo como garota-propaganda da campanha publicitária. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.