Publicidade
Publicidade - Super banner
Empresas
enhanced by Google
 

Após demissão, ex-CEO da Siemens pode abrir consultoria

Adilson Primo teria desviado 6,5 milhões de euros da empresa alemã para sua conta pessoal na Europa. Executivo nega irregularidade

iG São Paulo |

Demitido nesta semana da presidência da Siemens no Brasil, Adilson Primo agora faz planos para abrir uma consultoria. Após dez anos à frente da multinacional alemã, o executivo acredita que sua experiência deve ajudá-lo a seguir na nova carreira.

AE
Após ser demitido da Siemens por "grave violação de conduta", Adilson Primo pode abrir consultoria
“Estamos com uma absoluta falta de mão de obra qualificada. Então acho que a pessoa que tem a experiência que eu tenho pode entrar numa área de consultoria”, disse Primo em entrevista veiculada pelo jornal Folha de S.Paulo.

Leia também:

"Xerife" da Siemens é um dos maiores experts em combate à fraude

Primo foi demitido sumariamente da Siemens na última terça-feira, por “grave violação de conduta” ocorrida antes de 2007. Segundo fontes próximas ao executivo, o motivo teria sido o desvio de 6,5 milhões de euros da empresa alemã para uma conta pessoal na Europa.

O executivo negou irregularidades e atribuiu sua demissão à “quebra de confiança”. “É um tema interno da empresa e não posso mencioná-lo, mas não é nada que remeta a outras suspeitas”, afirmou à Folha.

Ainda segundo o jornal, Primo avalia que a demissão não teve impacto negativo sobre sua carreira. “Considero-me um profissional extremamente bem-sucedido e reconhecido."

A Siemens nomeou o engenheiro elétrico Paulo Ricardo Stark, de 42 anos, para assumir as operações da subsidiária no Brasil, que possui mais de 10 mil colaboradores, 13 unidades fabris e sete centros de pesquisa e desenvolvimento. Em 2010, a operação no País teve receita de 1,8 bilhão de euros e pedidos firmes de 2,1 bilhões de euros. 

Leia tudo sobre: Adilson PrimoSiemensCorrupção

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG