Proposta fixa novas metas de universalização para as concessionárias de telefonia fixa

selo

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) prorrogou até o dia 1º de novembro o prazo para contribuições à terceira proposta do Plano Geral de Metas de Universalização (PGMU III), que fixa novas metas de universalização para as concessionárias de telefonia fixa , objeto da Consulta Pública nº 34 da agência. A prorrogação é consequência de uma liminar obtida pelo Sinditelebrasil, que representa as operadoras, na Justiça Federal do Rio de Janeiro.

A ideia é remodelar o programa atual, denominado Aice (Acesso Individual Classe Especial), que custa cerca de R$ 25 para o consumidor final, não tem nenhuma franquia de minutos inclusa, e tem apenas cerca de 200 mil assinantes. As mudanças que serão feitas e o preço ainda não foram definidos. A instalação de novos telefones públicos para garantir atendimento a localidades com mais de 100 habitantes em áreas não urbanas é outro destaque do PGMU.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.