SÃO PAULO (Reuters) - Os acionistas da PDG Realty aprovaram em assembleia realizada nesta quinta-feira a incorporação da Agre, em uma operação que criará uma das maiores empresas do setor imobiliário do Brasil.

No início de maio, PDG e Agre anunciaram acordo de troca de ações para a primeira assumir o controle da segunda, em uma transação avaliada em 2,43 bilhões de reais.

SÃO PAULO (Reuters) - Os acionistas da PDG Realty aprovaram em assembleia realizada nesta quinta-feira a incorporação da Agre, em uma operação que criará uma das maiores empresas do setor imobiliário do Brasil.

No início de maio, PDG e Agre anunciaram acordo de troca de ações para a primeira assumir o controle da segunda, em uma transação avaliada em 2,43 bilhões de reais.

A assembleia geral extraordinária da PDG convocada inicialmente para 31 de maio não ocorreu por falta de quorum e foi remarcada para 10 de junho.

A estrutura de capital pulverizado da PDG --sem a figura de um acionista controlador definido-- foi apontada pelo vice-presidente financeiro da construtora e incorporadora, Michel Wurman, como um dos principais entraves para se reunir um número elevado de acionistas em assembleias.

Em entrevista à Reuters no começo de junho, Wurman mostrou confiança de que a PDG conseguiria aprovar a incorporação da Agre na segunda convocação da assembleia.

Em 31 de maio, acionistas representando mais de 60 por cento do capital da Agre aprovaram, em assembleia extraordinária, a incorporação da empresa pela PDG.

Pelos termos do acordo firmado entre PDG e Agre, os atuais acionistas da Agre irão oferecer cada ação que possuem em troca de 0,495 nova ação ordinária de emissão da PDG. A data de crédito das novas ações da PDG aos acionistas da Agre será 17 de junho.

(Reportagem de Cesar Bianconi)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.