Alog investe R$ 140 milhões em segundo data center no Rio

Nova unidade ocupará área de 15 mil m2 próxima à Avenida Brasil e ao Aeroporto do Galeão

Brasil Econômico - Érica Ribeiro |

Brasil Econômico

O Rio vem confirmando sua vocação para atração de empresas com base tecnológica. Berço de diversas startups, incubadoras e também um importante polo formador de engenheiros, a cidade está recebendo mais uma empresa com investimentos no setor de Tecnologia da Informação (TI). A Alog, empresa provedora de serviços de infraestrutura de TI, que foi adquirida em 2011 pela norte-americana Equinix, vai construir no bairro de Del Castilho, na Zona Norte, seu novo data center, com investimento de R$140 milhões. Este é o segundo data center da empresa no Rio. A primeira fase do empreendimento fica pronta em junho de 2013.

Depois disso, serão mais duas fases de construção com previsão de conclusão até 2016. A nova unidade ocupará um terreno de 15 mil metros quadrados e será próximo à Avenida Brasil e ao Aeroporto Internacional do Galeão. O data center, com capacidade para hospedar mais de 1.200 racks e manter conexão direta com as principais operadoras de telecom, será um dos poucos do Brasil com 650 metros quadrados de área especialmente preparada.

Expansão prevista

A Alog já projeta o crescimento de sua base de clientes na cidade. “Estudamos mais de 20 localidades e fizemos um trabalho com os fornecedores para analisar, principalmente, a capacidade de energia sem grandes necessidades de investimento. Del Castilho é um lugar estratégico porque tem grande capacidade de energia e fica perto da Linha Amarela", disse o vice-presidente da Alog, Eduardo Carvalho.

Para Victor Arnaud, diretor de Marketing, Processos, Tecnologia e RH da Alog, o fato de o Rio ser uma das sedes da Copa do Mundo, ser a cidade olímpica em 2016 e ter cada dia mais investimentos no setor de óleo e gás credenciaram a cidade para receber empresas do setor. “O Rio entra no mapa da infraestrutura premium e fortalece a cidade como um polo de tecnologia", comentou.

Hub tecnológico

Com grandes eventos de high tech programados para acontecerem até 2013, o Rio vem confirmando sua vocação para receber empresas de base tecnológica, afirma o diretor-executivo da Rio Negócios, Marcelo Haddad.

“A cidade congrega uma série de características que a tornam um grande hub tecnológico. Além de ser polo formador de engenheiros, firmou-se como centro de incubadoras e berço de startups. Esses fatores convergem com o estilo de vida e a geração de novos empreendedores que movimentam o setor”, avaliou.

Ele destaca que a tecnologia 4G será responsável por um salto em negócios para a cidade. “O 4G é um empreendimento industrial. E a grande margem de oportunidade para a cidade se chama conteúdo”, afirmou.

Assim como aconteceu com os aplicativos para smartphones, será uma nova geração para o 4G, acredita o executivo. “Esta será uma oportunidade para o Rio, como gerador de conteúdo para empreendedores e empresas”, disse. “Temos um ambiente propício para isso, com uma expressiva formação de engenheiros, a maior do país, uma migração de centros de pesquisa e tecnologia. A cidade tem hoje a possibilidade de um salto tecnológico”, estimou Haddad.

Ele afirmou, ainda, que a cidade terá conteúdo para rodar no 4G e em redes de conectividade para atender a grandes eventos.

“O Rio deverá ser a cidade mais conectada do país e uma das principais do mundo”, afirmou. “Conteúdo, media centers, infraestrutura fixa e móvel, data centers serão o caminho para o crescimento do Rio de Janeiro em tecnologia, com atração de novas empresas”, assinalou.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

Leia tudo sobre: alogtirio de janeirodata center

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG