O Google quer pensar como os brasileiros

Chefe do YouTube, chefe para as Américas e chefe de negócios do Google participam de seminário em São Paulo para discutir e entender um dos maiores mercados do mundo

Mayara Teixeira - iG São Paulo | - Atualizada às

Nesta quarta-feira (19), executivos da gigante de buscas Google participaram do evento “Think with Google”, em São Paulo, para discutir tendências do mercado de marketing digital. Entre os presentes estavam Nikesh Arora, chefe de negócios do Google Inc., Margo Georgiadis, presidente das operações na América e Robert Kyncl, vice-presidente de entretenimento para TV e Filme.

Foto: Mayara Teixeira
Nikesh Arora, diretor de negócios do Google: “Conhecer o consumidor e saber avaliar as informações disponíveis sobre ele é fundamental”

“O Brasil é um país de consumo e demanda massivos, é por isso que eu e Margo estamos aqui”, diz Robert Kyncl, responsável pela plataforma de vídeos Youtube, adquirida pelo Google em 2006. “Muitos sucessos vêm daqui, por exemplo, a animação Galinha Pintadinha já atingiu 500 milhões de visualizações e o humorista Felipe Neto já recebeu um terço das subscriptions que o Justin Bieber conseguiu em três anos”. “O Youtube é o sexto maior site do Brasil, cada usuário assiste a 109 vídeos por mês na plataforma”, diz Georgiadis.

Saiba mais: Veja 10 dicas para melhorar o desempenho do site de sua empresa

O número de brasileiros com acesso à internet e a quantidade de horas que passam navegando são números que animam a empresa. A pesquisa “Barômetro do Consumidor”, patrocinada pela Google, indica que 40% da população brasileira está online e cada usuário passa 50 horas por mês conectado.

Alguns outros dados internos divulgados pela empresa, indicam que 63% dos brasileiros pesquisam online antes de realizar uma compra; 84% dos internautas da classe C foram ao cinema nos últimos 30 dias; 53% pesquisam online antes de comprar um veículo e as vendas de turismo vão crescer 25% em 2012. Como a Google sabe tudo isso?

Um dos objetivos da empresa, além de organizar “toda a informação do mundo e torná-la acessível para todos”, é também compreender melhor o comportamento dos consumidores. “Surgimos em uma garagem, criamos um serviço e depois precisávamos ganhar dinheiro com isso”, diz Arora, o chefe de negócios da companhia. “Conhecer o consumidor e saber avaliar as informações disponíveis sobre ele é fundamental”.

Leia também: "O Google mente"

O Google parece estar fazendo isso muito bem, não é à toa que nos orçamentos das grandes empresas o percentual destinado à busca paga (ou links patrocinados) tem crescido. “A televisão pode ainda ser o maior meio do Brasil, mas 70% das pessoas que são impactadas por um anúncio de TV vão procurar o produto no Google”, diz Abel Reis, presidente da Agência Click, que falou sobre seu trabalho com a BRF (Sadia e Perdigão).

Alguns dos serviços oferecidos pela empresa são a ferramenta gratuita Google Analytics e a consultoria Double Click. O Analytics pode identificar, por exemplo, a localização geográfica do visitante e a forma como chegou na página. Embora muitas pessoas o vejam apenas como um monitoramento de tráfego, “é uma poderosa ferramenta para tomada de decisões em negócios relacionados a Internet”, diz Reis. Já o Double Click é uma agência de marketing adquirida pela Google Inc. em 2007, que veicula e entrega anúncios baseando-se no comportamento dos usuários.

Para o presidente da Agência Click, “o Google é uma mina de insights”. Por isso, as empresas estão utilizando mais seus serviços. O presidente de negócios da gigante bem sabe disso, “a conectividade está se tornando obrigatória”, diz.

Leia tudo sobre: GoogleYouTubemarketing digital

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG