A Braskem vai confirmar, na terça-feira, na cidade do México, a intenção de investir US$ 2,5 bilhões em parceria com um grupo local na criação de um polo petroquímico naquele país. O evento contará com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e executivos da companhia, controlada pelo grupo Odebrecht e Petrobras. Lula participará de encontro do grupo do Rio, na capital mexicana.

A ideia da Braskem é erguer até 2015 um polo integrado na produção de 1 milhão de toneladas de polietileno, uma resina plástica, utilizando gás etano a ser fornecido pela estatal Pemex. Nesta quinta-feira, o conselho de administração da Braskem aprovou a criação da joint venture com o grupo mexicano Idesa.

Haverá a assinatura dos contratos de intenção de investimentos e dos acordos de fornecimento de matéria-prima, informou um porta-voz da Braskem.

O polo petroquimico no México é um dos planos de investimentos internacionais da Braskem, que revelou sua intenção em novembro.

Projetos em prateleira

A companhia terá ainda de conciliar e priorizar o projeto mexicano com seus demais investimentos de forma a evitar a superoferta de resinas.

A Braskem tem acordo com a Pequiven para construir fábricas de resinas na Venezuela entre 2013 e 2014. Além disso, a empresa estuda seu ingresso na produção de resinas do Comperj, o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro, previsto para meados da década.

Além disso, a Braskem já assinou memorandos de entendimentos para investir na criação de polos no Peru e na Bolivia, outros dois países com fontes de matérias-primas para o setor.

A Braskem, que adquiriu a Quattor, sua rival no mercado brasileiro, e a americana Sunoco Chemicals, neste ano, pretende ainda comprar outro ativo de maior envergadura para fortalecer sua posição nos Estados Unidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.