Tamanho do texto

A Clariant, uma das maiores empresas químicas do mundo, fará novas mudanças em seu parque fabril alegando que as dificuldades econômicas que enfrenta vão se prolongar ao longo deste ano. Entre as medidas, a empresa decidiu reduzir a produção de corantes químicos de sua fábrica no Brasil.

Em comunicado sobre os resultados financeiros divulgados nesta terça-feira na Suíça, a Clariant informou que a "otimização da produção químicos para têxteis em Resende, no Brasil, vai levar ao fechamento parcial da fábrica."

As medidas afetam também a produção da empresa na Suíça e Índia. A fábrica da suíça de químicos e corantes têxteis será transferida para a Ásia. A produção de químicos para papéis, que também fica na Suíça, será deslocada para a Espanha.

A unidade de pigmentos químicos na Índia será fechada. O plano de ajuste no parque fabril da Clariant será concluído entre 2011 e 2013. As medidas levarão ao corte de 500 empregos, dos quais 400 apenas na matriz.

A Clariant já havia anunciado um ajuste em seu parque fabril em novembro. A empresa tinha fechado fábricas e cortado 3 mil postos de trabalho desde meados de 2008, reduzindo seu contingente para 17,5 mil empregados.

Sem previsão

No comunicado, a Clariant disse que não antevê a recuperação sustentável das atividades em razão de problemas estruturais da economia global. Apesar de ressaltar o desempenho das economias da Ásia, em particular da China, e da América Latina, a Clariant disse que a performance é insuficiente para compensar a situação negativa ou estável da Europa e dos EUA.

A Clariant apresentou prejuízo de 67 milhões de francos suíços no quarto trimestre de 2009, o equivalente a US$ 65 milhões. Em 2009, o prejuízo foi de 194 milhões de francos suíços.

Leia mais sobre: Clariant

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.