O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) registrou alta de 7,5% na carga de energia em novembro de 2009 na comparação com igual mês de 2008, para 56,274 mil megawatts (MW) médios. Esse volume é o mais elevado dos últimos dois anos.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237575297214&_c_=MiGComponente_C

Em relação a outubro de 2009, a expansão foi de 4,6%. "A taxa de crescimento da carga do mês de novembro em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando foram observados os primeiros reflexos da crise na carga de energia, consolida a retomada do crescimento da produção industrial", informou o operador, em boletim. Os dados são preliminares. A carga é o consumo de energia mais as perdas do sistema.

Apesar da recuperação, o ONS apurou uma ligeira retração de 0,2% na carga no acumulado de janeiro a novembro de 2009 ante igual intervalo de 2008. No acumulado de 12 meses encerrados em novembro deste ano, a carga de energia ainda apresenta queda de 0,5%. De acordo com o ONS, o forte consumo no mês passado foi puxado pela demanda interna das famílias (residencial e comercial), que se intensificou "com a ocorrência de temperaturas acima da média para essa época do ano". A incorporação de 400 MW médios do Acre e Rondônia ao Sistema Interligado Nacional (SIN) contribuiu com 0,8 ponto porcentual na taxa de crescimento.

Entre as regiões do País, o ONS registrou crescimento de 9,7% na carga no Sudeste/Centro-Oeste em novembro de 2009 ante igual mês do ano passado e expansão de 5,5% em relação a outubro. Segundo o operador, essa alta está relacionada à recuperação da atividade econômica da região, já que o Sudeste concentra a maior parte das indústrias do País. Temperaturas mais altas e a incorporação da carga de Acre e Rondônia ao subsistema Sudeste/Centro-Oeste também contribuíram para a significativa expansão da carga de energia no mês passado.

No Sul, a expansão da carga foi de 7,3% em novembro passado, em relação a igual mês de 2008 e de 6,5% na comparação com outubro deste ano. A região foi influenciada pelo crescimento do consumo residencial e comercial, em função da ocorrência de altas temperaturas e da retomada da produção industrial de alguns setores voltados ao mercado interno. No Nordeste, o aumento da carga entre novembro de 2008 e o mês passado foi de 2,9%, segundo o operador.

A Região Norte foi a única que registrou retração na carga na comparação com novembro de 2008, de 0,7%. A dinâmica do mercado foi afetada porque os grandes consumidores eletrointensivos ligados à rede básica "vêm apresentando consumos inferiores ao do mesmo período do ano anterior". Esses clientes participam com 52% do total da carga da região e têm grande parte da produção direcionada ao atendimento do mercado externo.

Leia mais sobre: energia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.