Companhia vai tentar reverter a decisão do órgão sobre negociação fechada em janeiro de 2008

selo

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) impediu nesta quarta-feira a compra fechada em 2008 da Cimento Tupi pela Polimix, que é uma prestadora de serviços de concretagem brasileira, presente em 21 Estados.

A Votorantim tem participação minoritária (cerca de 25%) na empresa, que atua de forma independente.

Em janeiro de 2008, a Polimix e a Cimento Tupi, que possui unidades em municípios do Rio de Janeiro e de São Paulo, assinaram um contrato de compra e venda de ativos. Se a Polimix não devolver os ativos da Tupi, 30 dias após a publicação da decisão de hoje, terá de pagar uma multa diária de 20 mil UFIRs, o máximo permitido. Além disso, o órgão antitruste multou a empresa em R$ 422.786,00 por intempestividade. Isso significa que a Polimix demorou mais de 15 dias para informar o Cade da operação.

A Polimix tentará reverter a decisão de hoje do Cade. "A reação primeira é a de ir à Justiça, vamos analisar a possibilidade internamente", disse à Agência Estado a advogada da Gianni Nunes.

A decisão do órgão antitruste surpreendeu a defensora da empresa. "Estávamos abertos à negociação", afirmou, enfatizando que três propostas de negociação foram estudadas entre o órgão antitruste e a Polimix - não houve consenso, no entanto.

A Procuradoria do Cade havia recomendado ao conselheiro-relator do processo, Fernando Furlan, que não permitisse a efetivação do negócio. O conselho reprovou o caso por unanimidade. A leitura da decisão do Cade, segundo a advogada, é a de que o conselho não gostaria de ver mais aquisições feitas pelo grupo Votorantim. Isso, de acordo com ela, demonstra que o órgão antitruste pretende interferir na política industrial brasileira. "Esta é uma interferência grande em qualquer grupo econômico. Se isso não é política industrial, é o quê?", indagou.

Outra observação feita por Gianni é a de que, com essa decisão de hoje, o Cade deixou claro que passará a avaliar também casos em que há percentual minoritário em companhias. "Isso é preocupante", avaliou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.