Rede especializada na venda e locação de filmes luta por sobrevivência desde 2004 e tem US$1 bilhão em dívidas

A Blockbuster entrou nesta quinta-feira com pedido de concordata no Tribunal de Falências dos Estados Unidos do Distrito Sul de Nova York na tentativa de lidar com cerca de US$ 1 bilhão em dívidas.

A rede de notícais CNN lembrou que a empresa, especializada na venda e locação de filmes, lutava por sua sobrevivência desde a separação do conglomerado de mídia Viacom em 2004.

Para manter suas atividades durante o período de proteção contra os credores, a Blockbuster conseguiu assegurar um crédito de US$ 125 milhões de detentores de ações seniores.

"Após uma análise cuidado, estamos determinados de que o processo anunciado hoje oferece o melhor caminho para recapitalizar nosso balanço e posicionar a Blockbuster para o futuro enquanto continuamos a transformar nosso modelo de negócios", declarou o executivo-chefe da companhia, Jim Keyes.

A BlockBuster informou em comunicado em sua página eletrônica que as operações fora dos Estados Unidos e os franqueados domésticos e internacionais, todos entidades legalmente independentes, não estão incluídos no pedido de concordata e não fazem parte dos procedimentos do Capítulo 11 da Lei de Falêncais dos Estados Unidos.

Ontem, o Wall Street Journal (WSJ) havia adiantado que a empresa estava muito perto de pedir recuperação judicial nos EUA.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.