Tamanho do texto

Nova versão só amolece a partir de 55º Celsius ou em contato com a saliva; produto deve chegar às prateleiras em 2012

Já imaginou comer um chocolate que não derrete nas mãos e possui 90% a menos de calorias que os chocolates convencionais - e tudo isso, sem que ele perca o sabor? A suíça Barry Callebaut, maior produtora de chocolate do mundo, há mais de três anos trabalha no desenvolvimento desse produto. Ainda em fase de teste, ele só deve chegar às prateleiras em 2012.

Divulgação
Batizado de Vulcão, chocolate da Barry Callebaut não derrete nas mãos e possui menos calorias
Batizado com o nome provisório de Vulcão, o chocolate só começa a derreter em temperaturas superiores a 55º Celsius ou quando entra em contato com a saliva. “Os convencionais, normalmente, derretem a partir de 30º Celsius. Por isso, ele é ideal para países de clima quente ou regiões onde a logística não é adequada”, afirmou Gaby Tschofen, vice-presidente de assunto corporativos da companhia.

A baixa caloria se justifica pela leveza e densidade do produto. Por possuir muitas bolhas de ar, dez pedaços do Vulcão têm as mesmas calorias que um único pedaço do chocolate tradicional.A Barry, para chegar à fórmula do Vulcão, precisou adicionar uma etapa especial no processo de fabricação do produto, antes de atingir o ponto de fusão. A textura, no entanto, ficou diferente da dos tradicionais. “O Vulcão é bastante aerado, crocante e leve, mas oferece o mesmo sabor que os outros chocolates”, disse Gaby.

Atualmente, um dos clientes da Barry está testando o produto para a fabricação de itens que utilizam o chocolate, como bolachas, bolos e bombons. Segundo Gaby, ainda é muito cedo para saber quando o chocolate começará a ser produzido em escala industrial e distribuído aos demais clientes.

Os preços, no entanto, devem acompanhar a evolução do produto e chegar ao mercado um pouco acima que a média dos chocolates tradicionais. “Por se tratar de um produto especial, o preço também será diferenciado. Mas ainda não sabemos exatamente o quanto mais caro esse chocolate será”, afirmou Gaby.

Além do Vulcão, a Barry foi uma das pioneiras no desenvolvimento de chocolates com baixo teor de açúcar e gordura. A companhia foi a primeira a desenvolver o chocolate probiótico, que possui na fórmula organismos vivos que, quando administrados em quantidade adequada, oferecem benefícios à saúde. Além disso, desenvolveu também o chocolate Acticoa, considerado bom para o coração e com propriedades que ajudam a retardar o envelhecimento.

A Barry Callebaut há cerca de um mês inaugurou sua primeira fábrica no Brasil - antes, a empresa tinha no País apenas uma unidade de beneficiamento de cacau, localizada em Ilhéus (BA). O País será plataforma para os planos de crescimento da companhia na América Latina. Até 2020, a empresa planeja inaugurar uma segunda unidade aqui.

    Leia tudo sobre: inovação
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.