Tamanho do texto

Dentro de um mês pode sair o sinal verde para os US$ 500 milhões para financiamento da gestão das distribuidoras da estatal

O empréstimo de US$ 500 milhões para financiamento da gestão das distribuidoras da Eletrobras aguarda apenas o sinal verde do Conselho do Banco Mundial e a decisão pode sair dentro de um mês. A afirmação foi feita pelo diretor do Banco Mundial para o Brasil, Makhtar Diop, que se mostrou animado com a possibilidade de aprovação. "As conversas (com a Eletrobras) já foram encerradas e agora depende do Conselho. Não posso falar pelo Conselho, mas estou otimista", disse Diop, que participou do 12º Seminário em Economia e Finanças Internacionais, no Rio de Janeiro.

Os recursos, caso aprovados, servirão para ajudar a estatal a sanear a gestão das distribuidoras Ceal, Ceam, Cepisa, Ceron, Cemar e Eletroacre. O representante do Banco Mundial disse ainda que o principal foco da instituição no Brasil está no setor de infraestrutura, como os investimentos no Metrô do Rio de Janeiro e nas linhas 4 e 5 do Metrô de São Paulo. "O desafio do crescimento sustentável no Brasil passa pela infraestrutura, que tem impacto no crescimento de longo prazo do país", frisou Diop.

O executivo também disse que a experiência nacional do Bolsa Família poderá ser estendida para outros países que já demonstraram interesse no programa. Na África, Diop acredita na troca de experiências com nações como o Quênia, que já mandou uma delegação ao Brasil para estudar o Bolsa Família, e o Senegal. Segundo ele, a Índia também já demonstrou interesse, enquanto a China vê com entusiasmo a redução da pobreza rural no Nordeste brasileiro. Diop lembrou que o programa terá que ser adaptado às condições de cada país e disse que o Brasil já está em uma fase mais adiantada, com o estudo dos efeitos do Bolsa Família sobre o crescimento da produtividade de mão de obra. "Vemos alguns países escolhendo seus programas aprendendo com a experiência brasileira. Na América Central vemos países fazendo o mesmo, o que é interessante e relevante", acrescentou Diop.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.