Tamanho do texto

Protetores são feitos de borracha e neoprene, mesma tecnologia de roupas de mergulho, para usar sobre os calçados em dias de chuva

Quando morava na Noruega, a arquiteta Marta Pessôa usava um protetor feito de borracha e neopreme para evitar que seus calçados ficassem encharcados com a chuva e a neve. Ao voltar para o Brasil, o acessório logo fez sucesso entre suas amigas, que queriam comprar algo parecido. Quando percebeu que não conseguia encontrá-lo em nenhuma loja do País, Marta decidiu investir na fabricação da versão brasileira do produto. Para ajudá-la na empreitada, chamou seu amigo Luiz Roberto Martinez, também formado em arquitetura, e criou uma empresa batizada de Garoa Brasil.

Protetores são impermeáveis e flexíveis
Divulgação
Protetores são impermeáveis e flexíveis
Juntos, eles desenvolveram protetores de sapatos feitos com dois tipos de materiais: borracha e neoprene, um composto sintético muito usado em roupas de mergulho e que tem como característica flexibilidade, resistência e elasticidade. A vantagem do neoprene é que ele permite que o protetor ganhe estampas, texturas e desenhos customizados. A maleabilidade das peças permite que vários modelos de sapatos sejam protegidos, com exceção daqueles conhecidos como “plataforma”.

Os protetores feitos pela Garoa Brasil estão separados em três categorias: Sport, para sapatos com solado baixo; Chanel, para os que possuem salto; e Bootie, único modelo que contém neoprene e usado em botas que, devido ao tamanho, exigem maior flexibilidade. Quando chegar às lojas, os protetores serão vendidos em tamanhos PP, P, M, G e GG, que servem para proteger sapatos com a numeração entre 34 até 41, e terão até 36 cores.

O público alvo do protetor de sapatos da Garoa Brasil é a classe B. “Fizemos um estudo do mercado e houve boa aceitação desse público, tanto no design quanto na utilização do produto”, diz Marta. Apesar do protetor ainda não estar disponível no mercado, os arquitetos já direcionam seu mercado para as revendas. O preço do produto não foi divulgado, mas sabe-se que a versão em neoprene acrescenta 55% no preço final.

Arquiteta Marta Pessôa
Divulgação
Arquiteta Marta Pessôa
Rio à porter

Com o sapato protegido da água, os sócios da Garoa Brasil desenvolveram também capas e guarda-chuvas com estampas que combinam com os protetores. Além disso, Martinez afirma que são grandes as perspectivas para o futuro do empreendimento. “Vamos ampliar o uso dos produtos em diversas áreas, estamos trabalhando nos modelos masculinos e algumas empresas já solicitaram peças para o público infantil”, diz.

Amigos há 15 anos, Marta e Martinez contaram com o apoio do Sebrae, Agência de Apoio ao Empreendedor e Pequeno Empresário, para criar a empresa há cerca de um mês. Os produtos foram lançados no Rio à Porter, evento de negócios paralelo à Fashion Rio, semana de moda da capital carioca que acontece no Cais do Porto do Rio de Janeiro entre os meses de maio e junho. Apesar de acreditar no sucesso do empreendimento, os dois ainda não largaram a arquitetura. “Mas isso vai mudar se a Garoa Brasil der certo”, diz Marta. “A arquitetura vai virar um hobby”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.