Tamanho do texto

Kiev, 18 - O governo ucraniano adiou hoje uma decisão sobre a imposição de cotas para exportação de grãos

selo

Kiev, 18 - O governo ucraniano adiou hoje uma decisão sobre a imposição de cotas para exportação de grãos. A iniciativa, que pode restringir os embarques de trigo e cevada em 3,5 milhões de toneladas até o final do ano, ainda está sendo discutida por uma comissão formada por autoridades governamentais, que encaminhará suas recomendações ao gabinete de ministros da Ucrânia, disse um porta-voz do Ministério de Economia do país. O ministro de Agricultura ucraniano, Mykola Prysyazhnyuk, informou ontem que o governo pode estabelecer uma cota de 2,5 milhões de toneladas para exportação de trigo e cevada a partir de 1º de setembro até o final do ano, além de permitir o embarque de um milhão de toneladas que já estão nos portos. O milho não estará sujeito às restrições, mas as exportações de centeio podem ser limitadas a 10 mil toneladas, segundo um documento divulgado no site do Ministério de Economia. Temores de que os embarques de grãos podem ser contidos por causa da severa estiagem têm se intensificado. Traders dizem que uma proibição não oficial está em vigor há seis semanas, conforme autoridades adotam barreiras administrativas para bloquear as exportações. Na semana passada, quatro traders de grãos foram processados criminalmente por fornecerem detalhes falsos sobre exportações avaliadas em US$ 7 milhões. A Associação Ucraniana de Grãos informou que as cotas propostas são "baixas sem fundamento" e pediu ao governo que as reconsidere. Em uma carta enviada ao primeiro-ministro ucraniano, Mykola Azarov, a associação disse que a decisão "resultará em estoques excessivos no mercado doméstico, no declínio dos preços e na falência dos produtores." As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.