Publicidade
Publicidade - Super banner
Empresas
enhanced by Google
 

Stratégie Grains reduz previsão de exportação de trigo da UE

Londres, 16 - A consultoria francesa Stratégie Grains reduziu hoje a projeção das exportações de trigo da União Europeia (UE) no ano-safra 2010/11 para 17,4 milhões de toneladas

AE |

selo

Londres, 16 - A consultoria francesa Stratégie Grains reduziu hoje a projeção das exportações de trigo da União Europeia (UE) no ano-safra 2010/11 para 17,4 milhões de toneladas. O ajuste reflete a concorrência de grandes exportadores como Canadá e Austrália, bem como perspectivas melhores sobre a produção mundial do cereal, segundo a consultoria. Contudo, a alta qualidade do trigo para moagem produzido por França e Reino Unido sinaliza uma demanda maior em 2010/11, enquanto Alemanha e outros lugares da Europa tiveram a colheita prejudicada por um clima úmido, revelou a Stratégie Grains. A safra total de trigo soft da UE deve recuar 1,8% na temporada 2010/11, para 127,2 milhões de toneladas, informou a consultoria, revisando para baixo a previsão de agosto devido à produtividade menor no Reino Unido e nos países bálticos. "Embora a situação mundial de oferta e demanda permaneça confortável, a situação na UE agora está apertada", disse a Stratégie Grains. Os preços do cereal na Europa saltaram mais de 60% nas últimas semanas, à medida que preocupações com as condições climáticas do continente europeu e uma severa estiagem na região do Mar Negro reduziram as projeções da colheita deste ano. No mês passado, a Rússia, terceiro maior exportador de trigo do mundo, proibiu os embarques até pelo menos o final de 2010, elevando os preços para os maiores níveis em dois anos. Desde então, grandes importadores, como o Egito, começaram a buscar ofertas de outras origens, incluindo da França, para compensar o déficit. A produção total de grãos do bloco europeu em 2010/11 deve alcançar 274,8 milhões de toneladas, queda de 5,9% ante 292 milhões de toneladas no último ano-safra e abaixo das 277,5 milhões de toneladas previstas em agosto, devido à redução das safras de milho, trigo e cevada. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: ECONOMICO-ECONOMIA

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG