Grupo pecuário teria interesse em vender unidades devido à baixa atividade no país vizinho; companhia brasileira não comenta

BUENOS AIRES - O grupo pecuário brasileiro JBS, maior processador global de carne bovina, pode vender três frigoríficos que possui na Argentina, disse neste sábado uma fonte, em um momento no qual o setor passa por dificuldades pela escassez de animais. A fonte, que preferiu não se identificar, afirmou que o anúncio foi realizado pelo secretário de Comércio Interior argentino, Guillermo Moreno, durante uma reunião que teve na sexta-feira com diretores dos principais frigoríficos do país.

Um porta-voz do grupo JBS, que controla a Swift, entre outras empresas, preferiu não comentar o assunto mediante consulta da Reuters.

Atualmente, as instalações que poderiam ser vendidas, situadas em Pontevedra, Berazategui e San José, estão trabalhando de forma parcial, diante da redução dos rebanhos bovinos, que provocou uma alta no preço do produto e fez o governo limitar as exportações.

Diversos frigoríficos atravessam dificuldades pela queda nas atividades, e o governo se viu obrigado a conceder subsídios a muitos trabalhadores suspensos. Os produtores rurais acusam as intervenções oficiais no mercado da carne pela queda do rebanho. As prolongadas secas que o país viveu nos últimos anos também foram muito prejudiciais ao setor.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.