Maior exportadora brasileira de limão taiti, a Itacitrus está se reestruturando para ampliar ainda mais a sua participação no mercado externo

Maior exportadora brasileira de limão taiti, a Itacitrus está se reestruturando para ampliar ainda mais a sua participação no mercado externo. Para isso, a empresa decidiu se capitalizar por meio de uma parceria com a gestora mineira de recursos FIR Capital, que hoje controla 30% do negócio da Itacitrus.

Os 70% restantes permanecem nas mãos dos fundadores do negócio, a família Promicia, de Itajobi, no interior de São Paulo, onde está sediado o QG da Itacitrus. Outro trunfo para fortalecer a empresa fora do País é a renovação da marca.

Para realizar o trabalho, a Itacitrus contratou uma consultoria especializada, a Sonne, de São Paulo, incumbida de criar uma marca global para a empresa, cujo nome segue indefinido. "Vamos criar uma marca global e outras segmentadas, que representarão os novos mercados em que estamos entrando", diz Waldyr Promicia, presidente da Itacitrus e filho do fundador, o empresário Vicente Promicia.

Até agora concentrada na Europa, a Itacitrus está prospectando mercados como o dos Emirados Árabes, Canadá e Estados Unidos. As exportações já respondem por 55% do faturamento da Itacitrus, que chegou a R$ 40 milhões no ano passado.

Três países (Inglaterra, Alemanha e França, pela ordem) absorvem o grosso das vendas da Itacitrus no exterior. "Desde que começamos a exportar, em 2000, vimos crescendo a uma média de 30% ao ano", afirma Promicia. Para este ano, o ritmo de crescimento deverá ser bem mais acelerado. É aí que entra a diversificação da produção e comercialização, com a inclusão de outras frutas no portfólio da Itacitrus, acabando com a hegemonia absoluta do limão.

Segundo Promicia, mamão, maçã, melão, manga, uva e abacaxi estão no foco da empresa. O primeiro deles é o mamão, cuja operação começou neste ano. "Junto com o aumento das exportações de limão, esse novo produto nos fará chegar a uma receita de R$ 80 milhões em 2010", diz Promicia. "Em 2011, começaremos a vender manga e uva." O desafio de dar uma nova cara à Itacitrus foi o que motivou Promicia a voltar a trabalhar na empresa da família.

Depois de crescer entre limoeiros, ele resolveu fazer carreira solo. Cursou design e moda, abriu uma confecção de lingeries em São Paulo, onde permaneceu até os 30 anos de idade. Nesse período, teve a oportunidade de aprender a exportar, experiência que começou a aplicar ao retornar à empresa do pai. "Cheguei para ajudar, gostei e fiquei", diz ele.

A produção de limão da Itacitrus está concentrada no município de Inhambupe, na Bahia, em uma área plantada de 450 hectares, responsável pela produção de 1,6 milhão de toneladas por ano. Mas a produção própria garante apenas 20% do volume comercializado dentro e fora do País. Os outros 80% são adquiridos de fornecedores.

Atualmente, a marca é dona de 10% do mercado nacional, comercializados nas centrais de abastecimentos de São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador. Ao todo, a Itacitrus conta com 500 funcionários. Segundo Promicia, o bom desempenho no exterior tem sido decisivo para a consolidação da Itacitrus no mercado doméstico. "Essa fórmula é que tem sustentado o equilíbrio dos negócios", diz ele. "Quando as vendas estão ruins lá fora, temos o mercado interno para compensar."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.