Publicidade
Publicidade - Super banner
Empresas
enhanced by Google
 

Indústria prevê queda na nova safra de soja do Brasil

Indústria prevê queda na nova safra de soja do Brasil

Reuters |

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - A nova safra de soja do Brasil deverá atingir 67,9 milhões de toneladas, estimou nesta quinta-feira a Abiove (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais), em sua primeira previsão para o período.

A projeção indica uma redução de 800 mil toneladas em relação à temporada anterior, de acordo com dados da Abiove, que considera um clima pior em relação ao tempo excelente da safra passada.

Os integrantes da associação da indústria estão preocupados com um plantio mais lento no Centro-Oeste e com o fenômeno climático La Niña, que traz um tempo mais seco para as regiões produtoras, o que poderia resultar em produtividades piores na nova safra.

"Estamos em um ano começando o plantio atrasado, e ainda não está com umidade adequada no Mato Grosso em algumas áreas, não está um clima normal... Ano passado estava mais adiantado o plantio (em Mato Grosso)", afirmou o secretário-geral da Abiove, Fábio Trigueirinho.

"Isso nos deixa um pouco alerta, também pelo ano de La Niña", acrescentou ele, ressalvando que não gosta de apostar em problemas climáticos.

Embora estime uma redução na safra, a Abiove prevê exportações recordes de soja entre fevereiro de 2011 e janeiro de 2012, de 31,6 milhões de toneladas. O processamento na nova temporada também será recorde, de 34,5 milhões de toneladas.

Com uma safra menor, o estoque final foi estimado em 2 milhões de toneladas de soja, o mais baixo desde 2005/06, contra 2,7 milhões nos previstos para a atual temporada.

Com os preços em alta no mercado internacional e grandes volumes exportados do complexo soja --com a firme demanda pelo grão da parte da China e com a Europa mantendo as compras elevadas do farelo brasileiro--, a Abiove prevê receitas recordes com as exportações do setor.

As vendas externas com grão, farelo de soja e óleo somariam 19,6 bilhões de dólares entre fevereiro de 2011 e fevereiro de 2012, um bom crescimento ante os cerca de 17 bilhões de dólares estimados para a atual temporada.

"A receita está refletindo preços um pouco melhores, a bolsa de Chicago está se mantendo em 12 dólares por bushel", declarou Trigueirinho.

O primeiro contrato da soja em Chicago chegou a atingir nesta quinta-feira o maior valor desde agosto de 2009.

Leia tudo sobre: NEGOCIOSCOMMODSSOJAABIOVE

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG