Imea reduz previsão de safra de soja e eleva de algodão em MT

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - A safra de soja 2010/11 de Mato Grosso, principal produtor brasileiro da oleaginosa, foi reduzida nesta sexta-feira para 18,44 milhões de toneladas, ante estimativa anterior de 18,73 milhões de toneladas, informou o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), órgão ligado aos produtores.

Na temporada passada, segundo o Imea, o Mato Grosso colheu um recorde de 18,8 milhões de toneladas, com ótimas condições climáticas e chuvas permitindo um plantio antecipado.

O Estado respondeu em 2009/10 por mais de 27 por cento da produção brasileira de soja, estimada também em recorde de 68,7 milhões de toneladas.

A redução na expectativa de safra ocorre por conta de uma queda na previsão mensal de plantio, de 6,24 milhões de hectares para 6,14 milhões de hectares, já que o Imea manteve a previsão de produtividade média em 3.001 kg por hectare.

A redução ocorreu porque quase 100 mil hectares, que antes seriam destinados para a soja, agora irão para o algodão, com preços recordes no mercado internacional estimulando o cultivo, segundo o Imea.

Além disso, o atraso no plantio de soja, com a demora para a chegada das chuvas no Estado este ano, fez alguns produtores relegarem a oleaginosa.

"Tinha muito algodão programado para ser segunda safra, mas com o atraso das chuvas, o pessoal deixou de fazer a soja para fazer algodão primeira safra", afirmou o superintendente do Imea, Otávio Celidonio, ressaltando também os preços da pluma.

Tradicionalmente, o Mato Grosso lidera os trabalhos de plantio e de colheita de soja no Brasil.

Cerca de metade da área prevista tinha sido semeada até quinta-feira, contra 68 por cento no mesmo período do ano passado.

Para Celidonio, mesmo com chuvas mais regulares agora no Estado, será difícil para os produtores tirarem o atraso até o final da próxima semana em relação ao ano passado, quando a semeadura esteve bem adiantada.

Os agricultores estão trabalhando intensamente no plantio de soja no momento. "Tem gente trabalhando de noite, de madrugada", afirmou o superindentente, lembrando que, quando o plantio é rápido, os produtores conseguem avançar 20 pontos percentuais numa semana. Em meados de novembro do ano passado, a semeadura havia sido feita em 80 por cento da área.

MILHO PERDE, ALGODÃO GANHA

Segundo Celidonio, o atraso no plantio de soja não é motivo para uma redução na produtividade esperada para a soja --embora alguns produtores temam por chuvas em excesso na colheita--, mas a segunda safra de milho do Estado 2010/11 sofrerá as consequências.

O Imea prevê uma redução de quase 10 por cento na safra de milho (para 1,76 milhão de hectares), plantada após a colheita de soja, com produtores provavelmente evitando plantar o cereal muito tarde, por conta da escassez de chuvas tradicional em meados do ano no Estado.

De outro lado, a área de algodão 10/11 em Mato Grosso deverá crescer para 534 mil hectares, ante 419 mil hectares na temporada passada.

O Imea não tem uma estimativa para a nova safra de algodão, mas na temporada anterior a colheita do principal produtor do Brasil somou 1,4 milhão de toneladas (produção em caroço).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.