Tamanho do texto

Centro-Oeste deve ter chuvas para plantio de soja só em outubro

Por Inaê Riveras

SÃO PAULO (Reuters) - Fortes chuvas estão previstas somente para o início de outubro na área de grãos do Centro-Oeste do Brasil, onde produtores aguardam as precipitações para iniciar o plantio da safra 2010/11 de soja, disseram meteorologistas nesta segunda-feira.

A região é normalmente a primeira a começar a plantar soja no país, em meados de setembro, mas neste ano o plantio deve atrasar algumas semanas em relação ao último ano. Em 2009/10, as chuvas chegaram mais cedo e foram intensas no principal cinturão de grãos do país.

Aproximadamente 3 por cento da área de soja do Mato Grosso já havia sido plantada nesta época, no último ano, quando as chuvas começaram em agosto, de acordo com a consultoria Agência Rural.

Produtores são proibidos por lei de plantar antes de 15 de setembro, para controlar a propagação da ferrugem asiática no período de entressafra.

As condições climáticas este ano no Brasil, segundo maior exportador de soja do mundo, estão sob a influência do fenômeno La Niña, o qual geralmente atrasa o início das chuvas no Centro-Oeste.

No Sul do país, o efeito do La Niña pode trazer períodos de seca durante o verão, de dezembro a fevereiro.

Nos últimos anos em que o La Niña aconteceu, o cinturão de soja do Brasil sofreu secas de variadas intensidades.

Preocupações sobre possíveis perdas provocadas pelo tempo seco no Brasil ajudaram a estimular os futuros da oleaginosa para a máxima de um ano nesta segunda-feira na bolsa de Chicago.

As chuvas do início de outubro no Centro-Oeste não serão, no entanto, muito espalhadas e não devem chegar em algumas regiões chave no Mato Grosso, maior Estado produtor de soja do Brasil, disse Fabiana Weykamp, meteorologista do Climatempo.

"O Mato Grosso do Sul terá chuvas substanciais na primeira semana de outubro... mas muitas áreas importantes continuarão secas", disse Weykamp.

As chuvas devem atingir áreas como o noroeste de Mato Grosso, sul de Goiás, centro-sul de Minas Gerais, além de Mato Grosso do Sul.

Mas não há previsão de chuvas substanciais para outras importantes áreas produtoras no Mato Grosso e Goiás, ou em Estados como Tocantins, Maranhão, Bahia e Piauí.

A situação este ano é completamente diferente em relação ao último ano, quando o Brasil estava sob a influência do El Niño e a produtividade de soja foi estimulada para perto de níveis recordes com chuvas quase perfeitas.

Em 2009/10, o Brasil colheu um recorde de cerca de 68,5 milhões de toneladas.

Produtores devem aumentar o plantio em 1 a 5 por cento nesta temporada, mas alguns poucos analistas esperam que a produção deve repetir o patamar do último ano.

PLANTIO NO SUL

No Sul do país, produtores podem começar a plantar soja e milho mais cedo, esta semana, com a chegada de amplas chuvas no Paraná e Santa Catarina na quarta-feira ou quinta-feira.

O La Niña, embora seja uma ameaça para as safras no verão, traz chuvas mais cedo que o normal para o Sul.

"Nós projetamos condições favoráveis (ao plantio) para essas áreas", disse Celso Oliveira, meteorologista da Somar.

"O que estou imaginando é que vai ter um plantio razoável de soja nesta semana... E também de milho. A tendência é de que plante antes da chuva, para germinar com a chuva", declarou Flavio Turra, gerente técnico e econômico da Ocepar (Organização das Cooperativas do Paraná).

O plantio de soja no Paraná, segundo produtor nacional da oleaginosa, começa oficialmente em 1o de outubro no Estado, de acordo com o zoneamento.

Mas alguns produtores no oeste realizam a semeadura um pouco antes, visando antecipar o plantio da segunda safra de milho.

(Reportagem adicional de Roberto Samora)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.