Publicidade
Publicidade - Super banner
Empresas
enhanced by Google
 

Assembleia da Frialto é suspensa, sem propostas a credores

São Paulo, 21 - A assembleia geral dos credores (AGC) do Grupo Frialto, com sede em Sinop (MT), foi suspensa hoje porque a companhia - em recuperação judicial desde 24 de maio - não apresentou propostas de pagamento a seus credores

AE |

selo

São Paulo, 21 - A assembleia geral dos credores (AGC) do Grupo Frialto, com sede em Sinop (MT), foi suspensa hoje porque a companhia - em recuperação judicial desde 24 de maio - não apresentou propostas de pagamento a seus credores. Em nota, o superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Luciano Vacari, disse que havia quórum suficiente para a realização da assembleia, mas como o frigorífico não sugeriu soluções tampouco o plano de recuperação judicial - disponível no site do frigorífico - foi discutido. Nova assembleia foi convocada para o dia 10 de novembro, às 9h, no mesmo local. "Os representantes do Frialto alegaram que o plano vai sofrer várias alterações e que não tiveram tempo de concluir a versão que desejam e se comprometerem em apresentar a nova versão do plano no dia 5 de novembro, que ficará disponível no site da empresa (www.frialto.com.br) para ser analisado", disse Vacari, no comunicado. A dívida total do Frialto é de R$ 564 milhões, sendo que R$ 95,041 milhões são referentes ao gado entregue para abate por 1.203 pecuaristas de 12 Estados. A maior parte dessa dívida é com os pecuaristas de Mato Grosso, que, segundo a Acrimat, corresponde a 50,37% do débito com R$ 47,874 milhões a receber por parte de 49,37% dos credores, totalizando 594 pecuaristas, divididos em 37 municípios. A Acrimat sugerei, durante a assembleia, proposta de pagamento, elaborada em reunião com pecuaristas da região norte de Mato Grosso. Nessa proposta, o frigorífico efetuaria o pagamento à vista de R$ 100 mil e o saldo devedor dividido em 24 parcelas de no mínimo R$ 5 mil cada uma. "Essa é a proposta que o pecuarista e a Acrimat defendem e esperamos que o Frialto use esse tempo até a próxima assembleia, para refletir na construção de um Plano que atenda os anseios dos produtores", diz Vacari na nota. Na assembleia de hoje compareceram mais de 50% das três classes de credores, sendo 73,03% da classe I - que são dos funcionários do frigorífico; 100% da classe II, denominada garantia real, formada pelas instituições financeiras e 71,57% da classe III (quirografários), composta pelos pecuaristas. O grupo Frialto, composto pelas empresas Vale Grande Indústria e Comércio de Alimentos S.A., Agropecuária Ponto Alto LTDA. e Urupuá Indústria e Comércio de Alimentos LTDA, possui oito unidades de abates em cinco Estados (MT, MS, RO, SP, GO). Em Mato Grosso são três plantas, localizadas em Nova Canaã do Norte, Matupá e Sinop. Há outra em construção em Tabaporã, também em MT.

Leia tudo sobre: ECONOMICOECONOMIA

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG