Novas Barbies buscam reverter queda de vendas e 'atrair novas mães'

Por BBC | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Durante anos a boneca foi alvo de críticas pois representava uma imagem do corpo muito distante da realidade

BBC

Os fabricantes da boneca afirmam que os novos modelos refletem a realidade das meninas
Mattel/ Divulgação
Os fabricantes da boneca afirmam que os novos modelos refletem a realidade das meninas

Uma das bonecas de plástico mais famosas do mundo, a Barbie, virá em três modelos diferentes com maior variedade de formatos de corpo a partir deste ano. A fabricante da boneca, a americana Mattel, adicionou os modelos "alta, curvilínea e pequena". Além disso, Barbie também terá tons de pele, cor dos olhos e cabelos diferentes.

A estratégia é vista por analistas como uma forma de aproximar a boneca da imagem das "pessoas reais" e, assim, reverter anos de queda nas vendas e atrair novas mães.

"As millenium moms (mães do novo milênio) não vinham comprando a Barbie para suas filhas, porque queriam que a boneca parecesse mais com as meninas, que parecesse mais com as pessoas que elas conhecem", disse à BBC Eliana Dockterman, jornalista que acompanhou a produção das novas bonecas para a revista Time.

Leia também: Coreia do Sul faz sucesso com cosmético de alga e ‘gosma de lesma’

Dockterman assistiu a quatro grupos de discussão com consumidores – mães e filhas – a respeito das novas bonecas, e afirmou que "um corpo mais realista" foi a principal demanda dos adultos, além de menos maquiagem, roupas mais simples e mais "mobilidade" (ou seja, um corpo que permitisse à Barbie fazer atividades como jogar futebol).

"A antiga Barbie parecia antiquada", prossegue Dockterman à BBC, acrescentando que a fabricante Mattel assume um grande risco com as novas bonecas. "Eles passaram muitos anos construindo um ícone."

Durante anos a boneca da Mattel foi alvo de críticas pois estabelecia o que muitos afirmavam ser uma imagem do corpo muito distante da realidade, e a venda das bonecas está em declínio desde 2012.

Com esses novos formatos e cores, a fabricante da Barbie afirmou que está "oferecendo às meninas escolhas que refletem melhor o mundo que elas veem hoje".

Fashionistas

Já no ano passado a Mattel lançou 23 novas bonecas na chamada linha Fashionistas, com cores de cabelo e de pele variadas, além de um pé mais chato substituindo o pé curvo e ideal para saltos altos da Barbie original.

Leia também: Bananas correm risco de extinção

Para a linha Fashionista de 2016, a empresa lançará 33 novas bonecas, 30 cores de cabelo diferentes, 24 novos cortes de cabelo, 22 cores de olhos diferentes, 14 formatos do rosto, sete tons de pele e quatro formatos de corpo: a Barbie original, plus alta, curvilínea e pequena.

"Estamos animados por, literalmente, mudar o rosto da marca - estas novas bonecas representam uma linha que reflete melhor o mundo que estas meninas veem - a variedade de tipos de corpos, tons de pele e estilo permite que as meninas encontrem uma boneca que se relacione com elas", escreveu Evelyn Mazzocco, executiva da Mattel, em comunicado.

As novas bonecas serão lançadas nos próximos meses no mundo inteiro. Mas a Mattel já avisou que "nem todas as roupas vão servir em todas as bonecas".

Barbie é uma boneca com uma fama polêmica principalmente devido ao formato de seu corpo com longas pernas, cintura minúscula, busto grande, pescoço fino e cabelo loiro esvoaçante.

Os críticos argumentam que se este formato de corpo fosse tentado na vida real, seria inatingível e insustentável. A pessoa com este formato de corpo não conseguiria parar em pé pois o formato do corpo seria muito desequilibrado. Algumas pessoas elogiaram a nova linha de bonecas no Twitter.

Leia também: OMS vê avanço ‘explosivo’ do zika vírus

Para @filamena, a Barbie curvilínea é importante pois "digo às minhas filhas que todos os corpos são normais, mas as bonecas delas não me ajudam". Outros questionaram de forma bem-humorada quando o namorado de Barbie, o boneco Ken, ganharia versões mais diferentes.

A usuária @ohnosheTwitnt perguntou a razão de "o pessoal da Barbie não ter feito nenhum boneco masculino com tipos de corpos e tons de pele diferentes" e assinou como "Ativista dos Direitos do Ken".

Leia tudo sobre: MattelBarbiepadrãovendas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas