Siemens negocia venda de divisão de energia solar

A demanda por equipamentos solares foi afetada na Europa, principal consumidora de energia solar

Reuters |

Reuters

O grupo de engenharia alemão Siemens vai vender seu negócio de energia solar e já negocia com potenciais compradores, na medida em que corta divisões de baixo desempenho para preencher uma lacuna de rentabilidade.

A demanda por equipamentos solares foi afetada já que a Europa, principal consumidora de energia solar, cortou subsídios para a energia renovável e a crise da dívida na zona do euro atingiu países ensolarados como Grécia e Espanha.

"Diante das mudanças nas condições do quadro, menor crescimento e forte pressão de preços nos mercados solares, as expectativas da companhia para suas atividades de energia solar não foram atingidas", disse a Siemens na segunda-feira.

A venda das unidades de energia solar térmica e fotovoltaica, que conta com 680 funcionários, vai deixar a Siemens com as divisões de energia eólica e hidrelétrica no setor de energia renovável.

A companhia disse neste mês que iria rever as empresas de baixo desempenho como parte de um novo programa de poupanças.

As unidades a venda tiveram prejuízos no ano passado que ultrapassaram suas receitas de menos de 300 milhões de euros (US$391 milhões).

Leia tudo sobre: EconomiaSiemens

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG