Volvo nomeia novo presidente para avançar plano na China

Companhia comprada da Ford pela Zhejiang Geely Holding Group por US$1,8 bilhão em 2010, pretende gastar cerca de US$11 bilhões para dobrar suas vendas anuais para 800 mil veículos até 2020

Reuters |

Reuters

A montadora Volvo trocou seu presidente-executivo por um ex-chefe do segmento de caminhões que vai enfrentar a difícil tarefa de provocar uma reviravolta nas derrapantes vendas da companhia e acelerar um impulso para o mercado doméstico de sua controladora chinesa.

O ex-chefe da MAN SE Hakan Samuelsson, um sueco, substituiu o alemão Stefan Jacoby, que sofreu um derrame leve no mês passado e que, segundo fontes, estava em desacordo com o chefe efetivo do conselho da empresa.

A Volvo, comprada da Ford pela Zhejiang Geely Holding Group por US$1,8 bilhão em 2010, pretende gastar cerca de US$11 bilhões para dobrar suas vendas anuais para 800 mil veículos vendidos até 2020 e impulsionar as vendas na China de 47 mil, em 2011, para 200 mil veículos.

"Nós temos que colocar os planos de crescimento na China de volta aos trilhos", disse Samuelsson em uma coletiva de imprensa após sua nomeação, que foi decidida em uma reunião do conselho nesta quinta-feira.

Samuelsson está no conselho da Volvo desde 2010, tendo deixado a MAN em 2009 após a companhia acusá-lo de suborno em conexões com negócios na Eslovênia. Promotores alemães disseram, no mês passado, que Samuelsson e outro executive estavam sendo investigados.

A MAN, enquanto isso, busca milhões em indenizações de Samuelsson por causa do escândalo.

Leia tudo sobre: NEGOCIOSAUTOSVOLVOCEO

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG